A carregar eventos

« Todos os Eventos

  • Este evento já ocorreu.

VI Ciclo de Masterclasses 2022 – Canto Firme

Março 5 - Abril 24

VI Ciclo de Masterclasses 2022

- Canto Firme -

05 de Março a 24 de Abril de 2022 – Tomar

 

Trompete - 05 de Março: Prof. Pedro Gentil

10247432_10152282992836883_4995498354777202929_nPedro Manuel Albuquerque Gentil, natural da freguesia da Carregueira, concelho da Chamusca, teve o seu primeiro contacto com a música na Banda da Sociedade Filarmónica de Instrução e Recreio Carregueirense Vitória (Carregueira-Chamusca).

Frequentou o Conservatório de Música de Santarém e a Escola Profissional de Música e Artes de Almada, ambas na classe do professor Mário Carolino. Concluiu o Curso de Instrumento na Escola Profissional de Artes da Beira Interior na classe do professor Fernando Jorge Ribeiro, e música de câmara com os professores António Costa, Paulo Ricardo Carmo e Sérgio Charrinho.

Participou em várias Masterclasses com prestigiados trompetistas tais como: Allen Vizzuti, John Aigi, Matthias Höfs, Pedro Monteiro, Michael Sachs, Jorge Almeida, Pierre Dutout, Bruno Nouvion, John Miller, Fruzi Hara.

Tem trabalhado com várias orquestras e agrupamentos nomeadamente: Orquestra de Sopros e Orquestra Sinfónica da Epabi, Orquestra Nacional de Sopros dos Templários, Orquestra Aproarte, Orquestra da Universidade de Évora, Orquestra Ginásio da Opera, Orquestra de Sopros e Orquestra Sinfónica da ESML, Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra clássica da Beira Interior, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra do Algarve, A’brass Art, Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.

Trabalhou com os maestros : Alberto Roque, Ernest Schell, Max Rabinovitj, Vasco Pearce de Azevedo, Francisco Ferreira, Rui Massena, Osvaldo Ferreira, Cesário Costa, Laurent Wagner, Luís Carvalho, entre outros.

Com o quinteto de Metais A’BrassArt, apresentou a obra de Eric Ewason “Shadowcatcher” para quinteto de metais e orquestra de sopros, juntamente com a Orquestra de Sopros da Escola Superior de Música de Lisboa.

Ingressou na Banda da Armada em 2009.

Colaborou com a companhia de Teatro de Almada na peça “A Mãe”.

Concluiu a licenciatura em Trompete na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe dos professores David Burt e Stephen Mason.

É membro fundador do Quinteto de Metais “Quinto Império” com o qual já participou em vários Concertos de norte a sul do país, e do ensemble de metais “ The BellsBrass Ensemble”. Teve a oportunidade de, com ambos agrupamentos, ministrar vários Workshops.

Foi professor da classe de trompete na Academia de Música de Alcobaça entre 2010 e 2013.

Ministrou a masterclasse de trompete integrada na 5ª edição de Masterclasses de Sopro e Percussão, organizado pela Banda da Covilhã, e o Workshop de Trompete integrado no 1º Estágio de Brass Band organizado pela associação “The BellsBrass Ensemble”. Ministrou Masterclasses no Conservatório Regional de Setúbal e no Conservatório D’Artes de Loures.

Orientou a classe de metais da VIII Oficina da Música organizada pela Associação Filarmónica Montalvense.

É orientador do naipe de trompetes da Orquestra da Academia de Músicos de Abrantes – AMA.

Em 2019 foi o professor da classe de trompete no III Estágio de Orquestra de Sopros da Sociedade Musical Euterpe – Portalegre, e no Estágio Music´Art (Calheta, S. Jorge – Açores).

Colabora regularmente com a Orquestra de Sopros do Médio Tejo.

Actualmente leciona no Conservatório de Música de Santarém e na Ourearte – Escola de Música e Artes de Ourém. Paralelamente frequenta o Mestrado em Ensino da Música na Escola Superior de Música de Lisboa.

Colaborou também com diversos agrupamentos dos mais diversos estilos musicais, entre os quais “Tagus Big Band” e “Tributo a Michael Bublé”, dos quais é membro fundador.

  

 

Percussão - 05 e 06 de Março: Prof. Miquel Bernat

bernat2Um dos maiores dinamizadores da cena internacional, contribuindo fortemente para a divulgação e solidificação da percussão, abrangendo no seu trabalho os mais diversos tipos de música que vai desde o erudito, experimental com electrónica até ao meio popular e vernacular interagindo com diversas áreas artísticas.

Estudou nos conservatórios de Valência, Madrid, Bruxelas e Roterdão e frequentou o Aspen Summer Music Course em USA.

Foi laureado com o “Prémio Extraordinário Final de Curso” dos conservatórios de Madrid e de Bruxelas, o Prémio Especial no Gaudeamus na Holanda em 1993, bem como o segundo prémio do Aspen Nakamichi Competition (EUA). Músico de grande versatilidade, tocou na Orquestra Ciutat de Barcelona e Royal Concertgebouw Orchestra de Amesterdão. Foi membro do Duo Contemporain de Roterdão e fundador do Ictus Ensemble de Bruxelas, com o qual tem vindo a fazer variados espectáculos (em alguns deles tocando como solista) com a coreógrafa A. T. de Keesrmaeker da Cia. Rosas entre outros.

Solista em incontáveis recitais por todo o mundo, destacamos as estreias mundiais dos Concertos de Percussão de David del Puerto, César Camarero, Luis de Pablo, Mauricio Sotelo e Joan Guinjoan, como solista com a Orquesta de Cadaqués (Esp), Orquestra Nacional do Porto, Orquesta de la Comunidad de Madrid, Orquesta Sinfónica de Murcia, Orquesta de la Radio Television Española (RTVE), Borusan Orchestra de Istambul (Tr), Cyprus Symphony Orchestra (Chipre), MusikFabrik (De), Remix Ensemble (Pt), Grup Instrumental (Sp), etc.

Estreia no IRCAM/Centre George Pompidou de Paris, “Mantis Walk in a Metal Space” de Javier Alvarez, primeiro concerto mundial de Steel Drums com o Ictus Ensemble e destaca-se a sua participação como solista junto ao conceituado barítono Spyros Sakkas e Georg Nigl, na música cénica “Oresteia” de Iannis Xenakis em festivais como Radio France de Montpellier, Estambul Festival, Cyprus Festival, Auditorio Nacional de Madrid, Cité de la Musique de París, Opera de Lille, BOZAR de Bxls, etc. Funda no Porto o Drumming-GP, um dos grupos de percussão mais dinâmicos da cena e crítica internacional e residente do Porto 2001-Capital Europeia da Cultura tocando em Brasil, Sul Africa, Italia, Espanha, França, Bélgica, Rusia, Suiza e as maiores salas do País.

A sua carreira como pedagogo passa como professor nos Conservatórios de Música de Roterdão e Bruxelas e a Universidade de Aveiro. Cria o primeiro curso superior de Percussão de Portugal na ESMAE do Porto. É também professor na ESMUC de Barcelona. Tem sido convidado como professor nos International “Summer Course for New Music” de Darmstadt (Alemanha), no “El Sistema de Orquestras de Venezuela” (FESNOJIV), no “Instrumenta” de Oaxaca (México), em CIVEBRA de Brasília e UNICAMP de Campinas (Brasil), no CNSMDP (Conservatoire National Supérieur de Musique et de Danse de Paris) e na Norwegian Academy of Music, entre outros.

Cria uma coleção de Estudos de Concerto para Marimba em estreita colaboração com compositores conceituados, que publicou em 2017 na Editorial “Tritó” de Barcelona e obtendo o patrocínio da Red Leonardo para Investigadores e Criadores Artísticos de 2016 da Fundação BBVA para a sua difusão. Em fase de elaboração está o segundo volume desta coleção, composto por livro/cd com publicação prevista para 2022. Obteve o apoio da Câmara Municipal do Porto-Criatório 2019 para o projeto “Estudos Coreográficos para um Percussionista”.

Miquel Bernat é um apaixonado pela criação atual, assim como, um dos exponentes mais comprometidos com a expansão da arte da percussão.

  

 

Eufónio / Tuba - 12 e 13 de Março: Prof. Mauro Martins

MPitt91Mauro António Martins é um jovem músico português, nascido na Suíça em 1995, para quem a música é, desde os 10 anos de idade, uma motivação que se tornou um modo de vida que confere felicidade e realização.

Teve o primeiro contato e paixão pela música numa Banda Filarmónica como grande parte dos instrumentistas de sopro em Portugal. Aos 15 anos de idade, convicto das suas opções profissionais, ingressou na EPABI – Profissional de Artes da Covilhã (Covilhã, Portugal), onde concluiu o curso Básico de Instrumento (2010-2013) e, posteriormente, o curso Instrumentista de Sopros e Percussão (2013-2016), na classe de eufónio, tendo trabalhado com os professores Nuno Machado, Ricardo Antão e Luís Oliveira entre outros. O seu percurso na escola ficou marcado por duas circunstâncias: a da persistência no trabalho diário, metódico, organizado e focado e a do seu sucesso académico, consequência da primeira. Nas duas provas de aptidão profissional realizadas, de nível II (9º ano) e nível IV (12º ano), a performance do Mauro elevaram-no à classificação máxima de 20 valores. Em 2016, concorre e é admitido na ESMAE – Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (Porto, Portugal), na classe do Professor Sérgio Carolino e Ricardo Antão na qual finalizou a sua licenciatura com nota máxima de 20 valores no recital final.

Como forma de se desafiar e auto-superar, numa busca incessante pela aprendizagem, o Mauro tem participado em alguns concursos internacionais, nos quais destaca o 1º Prémio no concurso internacional de sopros “Terras De La Salette” (Oliveira de Azeméis, Portugal), categorias Júnior (2014) e Sénior (2015) e o 1º prémio no Concours International de Saxhorn, Euphonium and Tuba de Tours. (2019)

Em 2020 lançou o seu primeiro álbum para euphonium e piano, FLOW.

Mauro Martins tem vindo a conquistar um lugar no panorama musical nacional e internacional, tendo lecionado masterclasses e realizado concertos e recitais com frequência nos continentes, Europeu, Asiático e Americano. É artista da marca de instrumentos ADAMS, Brass Lab. Momo e Denis Wick.

  

 

Trombone - 12 e 13 de Março: Prof. Hugo Assunção

22Nasceu em Vestiaria (Alcobaça) em 1969.

Em 1983 ingressou no Conservatório Nacional de Música, na Classe do Professor Emídio Coutinho.

No seu percurso académico realizou estágios com as mais diversas orquestras de jovens, de onde se destacam a Orquestra Portuguesa da Juventude, Orquestra Sinfónica Juvenil e Orquestra de Jovens do Mediterrâneo.

Foi instrumentista convidado com a Orquestra da Fundação Calouste Gulbenkian; Orquestra Régie Sinfonia; Orquestra Clássica do Porto; Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos; Orquestra Clássica da Madeira; Orquestra do Algarve; Orquestra Sinfonietta de Lisboa; Orquestra Metropolitana de Lisboa; Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música; Orquestra Sinfonia Varsóvia; Orquestra de Jazz de Matosinhos e Orquestra de Jazz do Hot Clube de Portugal.

Entre 1988 e 1992 foi Primeiro Trombone na Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos. Foi membro da Orchestrutópica.

Foi membro fundador e principal impulsionador de alguns dos primeiros grupos de metais criados em Portugal: Quinteto de metais Hot Brass de Portugal, Decateto de Metais de Lisboa, Ensemble Português de Trombones, Quinteto Português de Metais, Quinteto de Metais da Orquestra Sinfónica Portuguesa.

Em 1997 criou o Jornal do Núcleo de Trombonistas da APPIS, primeira publicação especializada criada em Portugal, distribuída para mais de 300 trombonistas por todo o país.

Leccionou na Universidade de Évora, Universidade de Aveiro, na Escola Superior de Música do Porto, na Escola Profissional de Música de Espinho e na Escola Profissional Gualdim Pais em Tomar. Foi Professor de Trombone e Música de Câmara nos Cursos de Música de Pousos (Leiria), Loures e Caldas da Rainha. É regularmente convidado a leccionar masterclasses em Portugal e no estrangeiro. Organizou cursos com diversos trombonistas, de onde se destacam os conceituados trombonistas de jazz americanos Conrad Herwig, Ed Neumeister, o Primeiro Trombone da Orquestra Filarmónica de Nova Iorque – Joseph Alessi, o ex-Primeiro Trombone da Orquestra de Cleveland, Massimo La Rosa, e o Primeiro Trombone da Staatskapelle de Berlim, Filipe Alves, entre outros.

Foi Diretor Musical da Orquestra de Sopros da Universidade de Évora e do ensemble de metais e percussão Alentejo Brass Connection.

Gravou diversos discos integrando a Orquestra Sinfónica Portuguesa, a Orquestra de Jazz do Hot Clube de Portugal, a Orquestra da Fundação Calouste Gulbenkian, Orchestrutópica, entre outros.

Em 2006 gravou dois cd para a editora Afinaudio, um projecto a solo – Vox Gabrieli, e um outro como líder do Ensemble Português de Trombones – A Different Era.

Em 2012 gravou um CD duplo com o grupo Mr SC & The Wild Bones Gang, premiado com o 2014 Roger Bobo Award Prize for Excellence in Recording.

Em Agosto de 2014 gravou um segundo disco com o grupo Mr SC & The Wild Bones Gang, participando como solista ao lado de nomes como Eugene Pokorny (tuba solo da Orquestra de Chicago), Shimpei Tsugita (tuba solo da Yomiuri Nippon Symphony Orchestra), Eijiro Nakagawa (trombone/compositor e artista Yamaha) e Demondrae Thurman (eufónio, Sotto Voce Quartet).

Em Novembro de 2016 gravou um disco com o grupo Crossfade em colaboração com Daniel Bernardes (piano e líder do projeto), João Barradas (acordeão), Sérgio Carolino (tuba), Ricardo Toscano (saxofone e clarinete), Jeffrey Davis (vibrafone) e Mário Marques (saxofone). Gravou um disco duplo que inclui a obra para metais da compositora Anne Victorino d’Almeida onde, para além de registar a sua Sonata para Trombone e Not a Fugue, dirigiu o The BellsBrass Ensemble em A Sombra dos Sentidos, obra que dá nome ao disco. Em 2017 gravou um CD como diretor musical do grupo Massive Brass Attack, Pocket Change, em que são solistas Sérgio Carolino e Nimrod Ron (tubas). Gravou um CD como diretor musical do ESML Brass Crew, Effervescence, com Sérgio Carolino (tuba) e James Thompson (trompete) como solistas.

Em 2016 dirigiu os The BellsBrass Ensemble na gravação de um disco em que participou o solista internacional Sérgio Carolino.

É, juntamente com o tubista Sérgio Carolino, Diretor Artístico do Festival Gravíssimo!, um dos mais conceituados festivais de metais graves a nível internacional, que se realiza anualmente em Alcobaça.

Lecciona as cadeiras de Trombone e Música de Câmara na Escola Superior de Música de Lisboa.

Atualmente é o Diretor Musical do The BellsBrass Ensemble, do ensemble de metais e percussão ESML Brass Crew, e Diretor Artístico do grupo Mr. SC & the Wild Bones Gang.

É Primeiro Trombone/Coordenador de Naipe da Orquestra Sinfónica Portuguesa.

  

 

Guitarra - 12 de Março: Prof. Filipe Ribeiro

FilipeRibeiro_PBNatural do Porto, iniciou os seus estudos musicais em 2003 na Escola de Música Óscar da Silva, em Matosinhos, na classe do Professor Paulo Ramos, completando o 8º grau em 2006.

Em 2007 ingressou na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo na classe do Professor José Pina, completando a Licenciatura em 2010 na classe do Professor Artur Caldeira.

Entre 2009 e 2012 fez parte do corpo docente da Escola de Música Óscar da Silva e entre 2010 e 2012 leccionou no Colégio de Nossa Senhora do Rosário, Porto. Entre 2019 e 2021 fez parte do corpo docente da Academia de Música de Vale de Cambra.

Em 2012 foi admitido no Mestrado em Performance Musical no Royal Conservatory em Gent, Bélgica, na classe do Professor Johan Fostier, tendo também trabalhado com o Professor Yves Storms. Concluiu o Mestrado - Master of Arts of Music – obtido com Great Distinction em 2014 sendo-lhe atribuído o prémio Alexis Blumberg no mesmo ano.

Ao longo do seu percurso musical teve a oportunidade de frequentar Masterclasses com os Professores José Pina, Maria Paula Marques, Margarita Escarpa, Tomás Camacho, José Mesquita Lopes, Chen Zhi, Johan Fostier, Yves Storms, Gaelle Solal, José Maria Ramirez, Sharon Isbin, Eric Franceries, Susanne Mebes, Maurizio Pisati e Máximo Diego Pujol.

É professor de Guitarra Clássica desde 2018 no Conservatório Bomfim, em Braga, e desde 2019 no Pallco – Performance Arts School & Conservatory, no Porto.

  

 

Violino - 19 de Março: Prof. Filipa Poêjo

Filipa PoêjoFilipa Poêjo nasceu em Lisboa, em 1970.
Iniciou os seus estudos musicais aos 9 anos na Fundação Musical dos Amigos das Crianças, tendo terminado o Curso Geral de Violino na classe da Professora Leonor Prado.
Posteriormente, ingressou na Escola Superior de Música de Lisboa, nas classes dos professores Khatchatour Ahmirkhanian (Violino) e Olga Prats (Música de Câmara), tendo concluído o Curso Superior de Violino em 1994.
No ano seguinte, foi admitida na classe do Professor Gerardo Ribeiro na Northwestern University em Chicago, onde foi bolseira da Secretaria de Estado da Cultura, do Instituto Português da Juventude e da Northwestern University School of Music. Nesta instituição, foi aluna do famoso Quarteto Vermeer e participou em masterclasses doBorodin String Quartet e do Ying String Quartet. Obtém o Master of Music em 1997.
Em 1996, frequentou um Curso de Aperfeiçoamento em Pedagogia Suzuki com Betty Haag, uma das mais proeminentes pedagogas de violino da actualidade, tendo obtido o Certificado Internacional Suzuki. A convite desta pedagoga, com quem ainda hoje mantém uma estreita colaboração profissional, leccionou no Talent Music Institute of Des Plaines, em Chicago. É membro da American String Teachers Association.
Foi membro efectivo da Orquestra Sinfónica Juvenil (1987-1993), com a qual se apresentou como solista. Integrou diversas orquestras de jovens internacionais, incluindo a Orchestre des Jeunes de la Mediterrannée e a Jugendsinfonieorchester Nordrhein – Westfalen, realizando concertos em países como Alemanha, China, Egipto, Espanha, EUA, França, Grécia, Israel, Itália, e Turquia. Participou em diversos Festivais de Música, sendo de destacar o Festival Internacional de Spoleto (Itália), integrando a Orquesta Sinfónica di Festival dei Due Mondi (1996).
Foi músico convidado da Orquestra Sinfónica da RDP, Orquestra do Teatro Nacional de São Carlos, Nova Filarmonia Portuguesa, Capela Real, Orquestra Régie Sinfonia e Orquestra Metropolitana de Lisboa. Colabora regularmente com a Orquestra Gulbenkian e a Orquestra Sinfónica Portuguesa.
Enquanto membro fundador do Quarteto Lusíada, gravou dois CD’s – Syllabas(Strauss) e “Ó Meu Menino Jesus” (EMI – Valentim de Carvalho) – tendo realizado inúmeros Concertos por todo o país.
Em 1998, juntamente com Rui Fernandes, fundou a Orquestra Os Violinhos, assumindo a sua Direcção Musical. Com este agrupamento, tem efectuado centenas de concertos por todo o país e no estrangeiro, destacando-se digressões a Alemanha, Áustria, Dinamarca, Espanha, Estados Unidos, Finlândia, França, Itália, Noruega, República Checa, Suécia e Suíça.
Tem realizado Masterclasses em diversas escolas e conservatórios e, de 2004 a 2006, colaborou com a Escola Portuguesa de Moçambique em Maputo, efectuando regularmente masterclasses e concertos em Moçambique e na África do Sul.
É Professora de Violino na Academia de Música de Lisboa desde a sua fundação, tendo os seus alunos vencido os principais Concursos de Violino, nacionais e internacionais, realizados em Portugal, obtendo um total de mais de trinta prémios.

  

 

Trompa - 19 de Março: Prof. Bernardo Silva

JBernardoSilva_Trompa (2)Bernardo Silva nasceu no Porto, Portugal, e é um dos trompistas portugueses mais destacados.

Estudou com Jonathan Luxton em Lisboa e com Ab Koster em Hamburgo.

Bernardo é solista da Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, em Portugal. Apresentou-se como solista, em recitais, música de câmara e em orquestras em vários países, tais como Portugal, Espanha, França, Bélgica, Holanda, Polónia, Alemanha, Inglaterra, Finlândia, Luxemburgo, República Checa, Rússia, Brasil e México.

Leciona na Universidade de Aveiro, na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Porto – ESMAE e na Escola Profissional de Música de Espinho.

Frequentemente orienta masterclasses em Portugal e no estrangeiro. É regularmente convidado para júri de concursos nacionais e internacionais, tendo participado em concursos em Portugal, Espanha e Finlândia.

Foi premiado com o 1º Prémio no Concurso Internacional Farkas organizado pela Sociedade Internacional de Trompas em Lahti, Finlândia, em 2002.

A sua discografia conta com vários trabalhos a solo, em música de câmara e como músico de orquestra. Os seus dois álbuns a solo ‘Canções Lunares’ e ‘Solo’ receberam excelentes críticas. Realizou a primeira gravação mundial da obra ‘Jeanne d’Arc’ para trompa e orquestra de sopros de Alex Poelman para a etiqueta holandesa Molenaar.

Bernardo é um instrumentista de câmara muito ativo, atuando com regularidade em duo com piano e em quarteto de trompas. É membro fundador do quarteto Trompas Lusas. O grupo apresenta-se com frequência em concertos em Portugal e no estrangeiro.

Atua frequentemente em simpósios, congressos e encontros da Sociedade Internacional de Trompas, da Associação Espanhola dos Amantes da Trompa e da Associação Catalã de Trompistas.

É Vice-Presidente da Sociedade Internacional de Trompas (IHS)

Bernardo é artista DürkHorns e Romera Brass.

  

 

Flauta Transversal - 19 e 20 de Março: Prof. Ricardo Alves

foto RicardoLicenciado em 2008 pela Academia Nacional Superior de Orquestra (A.N.S.O.), na classe de flauta transversal do professor Nuno Inácio. Bolseiro do Centro Nacional de Cultura, em 2008 e 2009, aquando dos estudos de Pós-Graduação desenvolvidos com o célebre pedagogo e flautista Trevor Wye no seu Studio em Kent (Reino Unido), em Flauta e História da Flauta. No ano de 2014 concluiu o curso de Pós-Graduação em Ensino da Música na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Em 2017 terminou o Mestrado em Ensino da Música, na Escola Superior de Música de Lisboa, na área de especialização de Instrumento – Flauta e Música de Câmara.

Em março de 2019, publicou na revista PAN (Journal of the British Flute Society) o artigo “Dislexia – Estratégias de Aprendizagem na Prática da Flauta”. Em janeiro de 2021 publicou na revista The Flutist Quarterly (National Flute Association, USA), “Dislexia: Dificuldades e Soluções aquando da Aprendizagem e Ensino da Flauta”.

No ano letivo 2020/2021 integra o Doutoramento em Música e Musicologia da Universidade de Évora, na vertente de Performance.

De momento, para além da atividade docente que exerce nos Conservatórios de Música D. Dinis – Odivelas, e Jaime Chavinha – Minde, Ricardo Alves colabora, regularmente, com Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, Orquestra Gulbenkian e, desde 2006, com a Orquestra Metropolitana de Lisboa. Desde 2010 que é o flautista principal da Lisbon Film Orchestra.

  

 

Clarinete - 23 e 24 de Abril: Prof. Nuno Silva

Foto editada Nuno SilvaDetentor de um percurso artístico de referência nacional, Nuno Silva goza também de assinalável destaque a nível internacional. Tem assumido uma dupla carreira enquanto músico e professor com apresentações regulares em Portugal e no estrangeiro. A crítica internacional reserva-lhe elogios como: “Silva has the chops to handle all this music and the swing to sell it.” – Fanfare Magazine, “Silva’s tone has great core, focus and ring.” – The Clarinet. É frequentemente convidado a apresentar-se no congresso mundial do clarinete onde actuou em Atlanta, Vancouver, Porto, Los Angeles, Assici, Madrid, Orlando e Osteend, tendo, neste último actuado no concerto de gala interpretando o Concerto de Artie Shaw com a Symphonic Band of the Belgium Navy. Em 2018 tocou o concerto de M. Lindberg tendo sido o primeiro clarinetista a fazê-lo sob a direcção do compositor. Como professor tem realizado masterclasses por todo o mundo: Espanha, Bélgica, Brasil, EUA, China, Austrália, Polónia e Suiça onde em 2018 foi professor convidado da Haute École de Musique de Genève. A sua crescente notoriedade a nível internacional tem proporcionado convites para os júris dos concursos internacionais de clarinete de maior relevo, entre os quais se destacam: Lisboa, Mercadante, Carlino, São Paulo, Ghent e Genève. A sua discografia inclui o 2º Concerto de Weber com a Nova Filarmonia Portuguesa, obras de M. Dorsam com o quinteto Mistral, “Percursos” e “LX1988” com o Quarteto de Clarinetes de Lisboa, “SWING.PT” a solo com a Banda Sinfónica do Exército e “Live Performances” a solo com a Orquestra Metropolitana de Lisboa. Em 2020 publicou o livro “Clarinete.PT” com grande aceitação por parte dos clarinetistas e músicos em geral. Nuno Silva é artista das marcas Buffet Crampon, Vandoren e Silverstein. Estudou com António Saiote, Hans Deinzer, Pascal Moragués e Hakan Rosengren. Diplomado pela ESMAE, Universidade Nova de Lisboa (Ciências Musicais) e pela California State University onde obteve um mestrado com classificação máxima a todas as disciplinas. Estes resultados académicos valeram-lhe o convite para membro da prestigiosa organização americana Phi Kappa Phi Honors Society. Em 2013 foi-lhe atribuído o “Estatuto de Especialista” e em 2017 foi-lhe conferido o grau de Doutor com distinção na Universidade de Évora. Foi vencedor dos mais importantes concursos nacionais, incluindo o 1º Prémio de Clarinete e Música de Câmara no Prémio Jovens Músicos 1991. Nuno Silva foi também distinguido em concursos internacionais: Valentino Bucchi em Roma 1992; Aurelian Popa na Roménia 1993, Cracóvia 1994 e Concert Artists Guild-New York em 2002.

Nuno Silva é solista principal da Orquestra Metropolitana de Lisboa e professor na Academia Nacional Superior de Orquestra. É, também, membro fundador do Quarteto de Clarinetes de Lisboa que celebrou 30 anos de actividade em 2018, sendo o quarteto mais antigo do mundo. Em 2003, a Câmara Municipal do Seixal atribuiu-lhe a medalha de mérito cultural e a sua biografia foi citada na revista VISÃO como “um percurso digno de orgulho nacional”. A sua biografia consta do livro de Gianluca Campagnolo “Great Clarinettists”.

  

 

Horários das Masterclasses

As masterclasses terão início às 10h00 e terminam às 18h00, sejam elas de um dia ou de dois dias.

Intervalo de almoço das 13h00 às 14h30 (Refeição a cargo do participante)

As masterclasses terão dois momentos de intervalo, um de manhã e outro à tarde, que será indicado pelo Professor orientador da masterclass.

  

 

Ficha de Inscrição:

Campos marcado com * são obrigatórios.

Detalhes

Início:
5 Março, 2022
Fim:
24 Abril, 2022
Categoria de eventos:

Organizador

Conservatório de Artes

Local

Canto Firme de Tomar
Telefone:
249314251
Rua Dom Lopo Dias de Sousa, 8C, Tomar, 2300-483 Tomar Portugal
+ Google Map