Corpo Docente

Departamento de Cordas e Teclas

  • Guitarra Clássica 

David FerreiraDavid Ferreira - David Francisco Ramos Ferreira nasceu em França no ano de 1981.

Iniciou o seu percurso musical aos 10 anos de idade na Sociedade Filarmónica Aurora Pedroguense com o instrumento Trompa e, posteriormente, Trompete.

Aos 16 anos de idade, entrou no Conservatório Regional de Música

de Tomar em Guitarra Clássica, estudando com o Professor John Fletcher. Mais tarde ingressou no Conservatório Regional de Música da Golegã, tendo como Professores: José Farinha, Eddy Goltz e Filipe Cameira.

Frequentou cursos de aperfeiçoamento com Carlo Marchione, Kevin Gallagher, Dejan Ivanovic, Graham Devine, Laura Young, Celso Machado e Pedro Rodrigues.

Em 2009 ingressou na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, tendo concluído a Licenciatura em Guitarra Clássica com os Professores Miguel Carvalhinho e José Horta.

Actualmente, frequenta o Mestrado em Ensino de Música na Escola Superior de Artes Aplicadas.

A nível Profissional é Professor de Guitarra Clássica na Escola de Artes SAMP e na Canto Firme de Tomar.

 

Rafael UmbelinoRafael Umbelino Fez estudos de Guitarra Clássica com diversos Professores, sendo alguns deles: José Horta, John Fletcher, José Farinha, Eddy Goltz, Duarte Lamas e João Durão. Fez também estudos de Análise e Técnicas de Composição (15 valores) e Acústica (16 valores) com o Professor, Maestro e Compositor Nuno Leal e, entre outras disciplinas, com os Professores(as) Gisela Perna e Nuno Dario.

Em 2010, terminou o 8ºGrau de Guitarra Clássica com a classificação de 17 valores.

Tem participado ativamente nos Masterclasses de Guitarra Clássica, na Golegã, com a orientação técnica do Professor Doutor Miguel Carvalhinho, e também frequentou já vários Workshops de Guitarra Elétrica, com os guitarristas Gonçalo Pereira e Paulo Barros.

Frequentou também o seminário sobre a construção da Guitarra Clássica, com o Luthier Christian Schwengeler – “O Segredo da Guitarra” -, e várias palestras, com a Drª Cristina Fernandes sobre “A música da Capela Real e Patriarcal (1716-1834): Modelos, Repertórios e Práticas Performativas”, e com a Pianista Margarida Prates sobre a vida e obra de António Fragoso.

Destaque para a sua participação na opereta “Die Lustige Witwe” (A Viúva Alegre) de Franz Léhar, na qualidade de coralista, numa produção ESART-IPCB, sob a direção do maestro João Paulo Santos, inserido no 17º Festival Internacional de Música de Castelo Branco – Festival Primavera Musical 2011.

Participou também no 9º Festival Internacional Guitar’Essonne e Salão de Luthiers, em 2011 e no 1º Festival de Guitarra de Castelo Branco, em 2013, com a Orquestra de Guitarras ESARTGUITAR.ORQ; e particularmente, no 1º Concurso de Guitarra Clássica da Golegã, em 2013, a solo, onde obteve o 2º lugar, na categoria de nível superior.

Em 2014, terminou a Licenciatura em Música, variante Guitarra Clássica, na Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Em 2017, terminou o Mestrado em Ensino da Música, especialização em Guitarra Clássica e Música de Conjunto, na Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) do Instituto Politécnico de Castelo Branco, tendo obtido a classificação de 17 valores no Relatório de Estágio.

A guitarra utilizada por Rafael Umbelino é um modelo de construção tradicional espanhol, de 640mm, com tampo em Cedro Vermelho do Canadá, do Luthier Victor Lozano (filho do grande Luthier espanhol Cazimiro Lozano).

Atualmente é professor de Guitarra Clássica em Conservatórios e Escolas de música.

  • Piano

Joaquim RobertoJoaquim Roberto - Joaquim José Ferreira dos Santos Roberto

Concluiu o Curso Superior de Piano do Conservatório Nacional.

Estudou Jazz na Escola do Hot Club com António Neves, Mário Laginha e David Gausden.

Participou em dois Cursos Internacionais de Jazz com Roland Hanna e Hal Galper, e em “workshops” com Gary Burton, Jan Garbarek e John Abercrombie.

Ao longo do tempo tem trabalhado em teatro, televisão, hotéis, casinos, cruzeiros, concertos, etc, na qualidade de pianista, direção musical, adaptações e arranjos.

Trabalhou com Pedro Osório, Laurent Filipe, David Gausden, Carlos Barreto, Massimo Cavalli, Gustavo Roriz, Carlos Vieira, Mark Holen, Michael Lauren, Eddy Goltz, etc. 

Durante cerca de uma década dirigiu um decateto de música latina, residente na discoteca Salsa Latina em Lisboa.

Atuou por todo o país, incluindo Madeira e Açores e também em Espanha e Marrocos (festival de Jazz de Tanger).

Atualmente leciona no Conservatório de Artes Canto Firme em Tomar, no Conservatório de Música da Caranguejeira, e no Colégio Salesianos de Lisboa.

MartaMenezesMarta Menezes - Vencedora do 1º Prémio no Concurso Beethoven no Royal College of Music (Londres, 2013) e no Concurso Internacional de Piano de Nice Côte D’Azur “Simone Delbert-Février” (2013), Marta Menezes conta ainda com outros prémios em concursos internacionais em Portugal, Espanha e França.

Apresenta-se regularmente em recital, a solo e em música de câmara, tendo actuado em diversos países na Europa, em Cabo Verde e nos Estados Unidos. Das temporadas mais recentes, destacam-se os seus recitais no Centro Cultural de Belém, na Rádio Antena 2, na Chopin Society of Connecticut (EUA) e o concerto de abertura do festival internacional Lisbon Music Fest. No passado mês de Julho, Marta apresentou-se numa tournée na China, numa série de 8 concertos em 6 diferentes cidades. 

Como solista, apresentou-se com a Orquestra Sinfónica da Escola Superior de Música de Lisboa, com a Camerata MusArt, com a Camerata Amicis, com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, com a Orchestre Régional de Cannes e com a Student Orchestra da Jacobs School of Music (Universidade de Indiana), sob a direcção dos maestros Vasco Azevedo, Gareguin Aratiounian, Carlos Silva, Nikolay Lalov, Nicolas Simon e Louis Lohraseb, respectivamente.
Marta tem um papel activo na divulgação da música portuguesa em Portugal e no estrangeiro. Fez a estreia de várias obras de compositores portugueses contemporâneos e desenvolveu um projecto a dois pianos e piano a quatro mãos com a pianista Inês Andrade, com apresentações em Portugal, em Cabo Verde e na Suíça. No passado verão, apresentou uma série de recitais com o barítono Bruno Sandes, com um repertório exclusivamente português e brasileiro.
Marta recebeu em 2014 a “Medalha de Prata de Valor e Distinção” pelo seu percurso enquanto pianista, atribuída pelo Instituto Politécnico de Lisboa.
Em 2015 editou o seu primeiro CD com obras de L. v. Beethoven e F. Lopes-Graça, com o apoio da Gestão dos Direitos dos Artistas (GDA), que recebeu o prémio Global Music Award nos EUA: Silver Medal – Outstanding Achievement nas categorias de classical piano e emerging artist, tendo sido também eleito “fan favorite”.
Iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música Jaime Chavinha em Minde, com Gabriela Capaz, tendo estudado mais tarde com Paulo Pacheco. Fez a sua Licenciatura na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe do pianista Miguel Henriques. Prosseguiu os seus estudos no Mestrado em Música na mesma instituição, sob a orientação de Miguel Henriques e Jorge Moyano, onde concluiu o curso com a classificação máxima. Terminou em 2013 o seu segundo mestrado – Master of Performance – no Royal College of Music (Londres) com distinção, na classe do pianista Dmitri Alexeev, tendo estudado previamente com Andrew Ball..
Marta terminou recentemente o 3º ano do seu Doutoramento em Música na Universidade de Indiana – Jacobs School of Music (EUA), na classe do pianista Arnaldo Cohen, encontrando-se de momento a trabalhar no documento final.

www.martamenezes.com

  • Órgão

Alexandra Sousa – Brevemente Disponível

  • Acordeão 

Fábio PalmaFábio Palma - nasceu em Lagoa, Algarve. Iniciou os seus estudos musicais na Academia de Música de Lagos. Adquiriu, em 2013, o grau de Licenciado em Música com o professor Paulo Jorge Ferreira, na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco. Em 2016, finalizou o Mestrado em Ensino de Música, na mesma instituição.

 Participou em vários concursos nacionais e internacionais, enquanto músico solista e inserido em música de câmara, tendo obtido excelentes classificações, com destaque para edições do concurso Folefest (1º prémio em solo e música de câmara), concurso de Jovens Interpretes de Caldas da Rainha (1º prémio ex-aequo), concurso Internacional de Acordeão de Castelfidardo, Itália (2º prémio em música de câmara) e Prémio Jovens Músicos (2º prémio em acordeão solo).
Tem-se apresentado em reconhecidas salas, com destaque para a Casa da Música (Porto), Sala dos Espelhos do Palácio Foz (Lisboa), Teatro Rivoli (Porto), Teatro São Luiz (Lisboa), Centro Cultural Vila Flor (Guimarães), Teatro Raffaello Sanzio (Urbino, Itália), Bimhuis (Amesterdão, Holanda), entre outras, com emissões em direto pela rádio Antena 2.

Participou em vários Workshops e Masterclasses orientados por conceituados acordeonistas, nomeadamente Geir Draugsvoll, Friedrich Lips e Mika Väyrynen. Frequentou, também, um curso anual de Acordeão e Técnica Alexander em Itália, com Claudio Jacomucci e Kathleen Delaney.

A sua perspetiva artística polivalente tem-lhe possibilitado explorar diferentes áreas da música, dentro do clássico e contemporâneo, jazz, folk, world music, fusion e bandas sonoras. Igualmente tem explorado outras áreas artísticas, individualmente e em grupo, como a recitação de poesia e a representação dramática.
Fez parte de estreias de obras em grupos e como solista de orquestra, com destaque para “Ti’Anita” de Nuno Sequeira Rodrigues, “In Extremis” de Paulo Jorge Ferreira, “Vortex” (com dança contemporânea) de Claudio Jacomucci, “Fraternità Solare” (com recitação de poesia) de Claudio Jacomucci. Foi, também, músico integrante do festival de dança e música contemporânea “il Fiore delle Mille e una Nota 3″, realizado em Amesterdão e Urbino. Em Portugal, fez parte de um ciclo de apresentações do espetáculo “Teorema”, encenado por John Romão, a partir da obra do cineasta italiano Pier Paolo Pasolini.

Ao longo da sua carreira, tem sido convidado a participar em algumas gravações discográficas nacionais e internacionais.

Leciona, atualmente, a disciplina de Acordeão nos conservatórios Canto Firme em Tomar e Jaime Chavinha em Minde.

  • Harpa

Carolina Marcelino

Carolina Marcelino - Carolina iniciou os seus estudos musicais em harpa no Conservatório Nacional de Lisboa com a Andreia Marques. Em 2011 iniciou o curso superior no Royal Conservatoire of Scotland onde estudou com Pippa Tunell, Alina Bzhezhinska e Sharron Griffiths e finalizou o mestrado em performance este ano na mesma escola.

Improvisação, movimento e yoga são as suas áreas de interesse e adora explorar a criatividade com os seus alunos e colegas.

  • Violino 

Mariana BarrosMariana Barros – Mariana Vidal Barros, natural de Aveiro, iniciou os seus estudos musicais com 9 anos de idade no Conservatório de Música de Aveiro Calouste Gulbenkian em violino. Recebeu masterclasses de vários violinistas como Valentin Stefanov, Aníbal Lima, Liesbeth Baelus, Sergej Bolkhovets, Gian Paolo Peloso, Wibert Aerts e Orazio Vicari.

Integrou diversas orquestras, como a OJ.COM, Orquestra da Universidade do Minho, Orquestra de Câmara de Braga, Sinfonietta de Braga, Estágio Gulbenkian para Orquestra, Orquestra de Guimarães, Lisbon Film Orchestra, Jovem Orquestra Portuguesa e Orquestra de Jovens da Roménia, tocando em importantes salas nacionais e internacionais como o Grande Auditório da Fundação Calouste Gulbenkian, o Centro Cultural de Belém, o Coliseu do Porto, o Cazino de Sinaia (Sinaia, Roménia), o Ateneu Romano (Bucareste, Roménia) e a Konzerthaus (Berlim, Alemanha). Trabalhou com vários maestros como Pedro Neves, Enrico Bronzi, Hans Casteleyn, Joana Carneiro, Daniel Stabrawa, Christoph Koncz, Pedro Carneiro, Cristian Mandeal, entre outros. Foi concertino da Orquestra Barroca da Universidade do Minho, da Orquestra de Câmara da Universidade do Minho, da orquestra sinfónica do projeto “Músicos da Nossa Terra” (Estarreja) e atualmente da Orquestra Sinfónica de Thomar.

Desenvolveu os seus grupos de música de câmara com os professores Toby Hoffman, Eliot Lawson e Pavel Gomziakov.

Terminou a Licenciatura em Música na variante de Interpretação (violino) e o Mestrado em Ensino de Música na Universidade do Minho (Braga) na classe dos professores Ilya Grubert e Eliot Lawson.

A nível pedagógico tem vasta experiência, tendo lecionado violino em escolas do distrito de Aveiro, no Colégio Luso Internacional do Porto e na Academia de Música da Fortaleza de Valença. Realizou um ano de estágio como professora do método Suzuki da Academia A Pauta e concretizou o seu estágio profissional do Mestrado em Ensino de Música no Conservatório Calouste Gulbenkian de Braga. No presente ano letivo é professora de violino no Conservatório de Artes Canto Firme de Tomar (Santarém).

  • Viola de Arco

Ana Luzia LapoAna Luzia Lapo - Natural da Marinha Grande, iniciou aos nove anos os seus estudou de viola d’arco na Escola de Música do Órfeão de Leiria e terminou em 2011 o Curso Profissional de Instrumentista de Cordas e Teclas na Escola Profissional Metropolitana.

Na Universidade do Minho concluiu em 2014 a Licenciatura em Música (na especialidade de viola d’arco) e em 2016 o Mestrado em Ensino de Música.

Ao longo do seu percurso musical frequentou diversos cursos e classes de aperfeiçoamento com instrumentistas como Barbara Friedhoff, Anabela Chaves, Ivo Jan van der Werff, Máté Szucks, Natalia Tchich, Tobby Hoffman, Pedro Munoz, Trevor McTait, Luís Pipa, Carlos Damas, entre outros.

Apresentou-se em variadas formações de música de câmara e trabalhou com diferentes orquestras profissionais e juvenis como Chefe de Naipe da Orquestra Sinfónica de Thomar; Membro Efetivo da Orquestra Sub-21 Europeia; Membro Efetivo da Orquestra Sinfónica Juvenil; Reforço na Orquestra de Guimarães; Reforço na Orquestra Filarmónica de Pontevedra; Reforço na Orquestra Clássica de Fátima; Reforço na Orquestra da Maia; Reforço na Sinfonieta de Braga; Reforço na Orquestra de Braga; Reforço em diferentes edições dos Estágios Internacionais de Orquestra da Região Leiria-Fátima; Reforço em diferentes edições dos Estágios da Orquestra Nacional de Jovens; Orquestra do Projecto “Ópera na Prisão”; Estágio Açores da Orquestra Sinfónica Juvenil; VII Curso Internacional de Arte Orquestral; Orquestra Sinfónica de Leiria; Workshop’s de Verão e Páscoa OML Júnior.

Participou em congressos e seminários nas diferentes áreas musicais como a pedagogia de instrumento de cordas, musicologia e musicoterapia.

Atualmente é violetista na Orquestra Bomtempo; integra a delegação portuguesa da Associação Europeia de Professores de Cordas; leciona a disciplina de viola d’arco e violino na Escola de Música do Órfeão de Leiria, Conservatório Caldas da Rainhas, Conservatório de Artes Canto Firme, Sociedade Artística Musical dos Pousos e frequenta o segundo ano do Mestrado em Musicoterapia na Universidade Lusíada de Lisboa.

  • Violoncelo

Mariana BarradasMariana Barradas – Mariana Alberto iniciou os estudos musicais aos 9 anos. Aos 10 ingressou na Academia de Música de Santa Cecília, onde prosseguiu os estudos de piano com Daniela Ignazzito. Aos 11 anos inicou o estudo de violoncelo, frequentando a Academia de Música de Santa Cecília e, posteriormente, a Escola de Música do Conservatório Nacional, com as professoras Ana Filomena Rodrigues, Ana Raquel Pinheiro e Catherine Strynckx. No ano 2010 ingressou na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, onde iria continuar a ser orientada por Catherine Strynckx. Em 2013 começou a estudar com Pavel Gomziakov na Universidade do Minho, onde concluiu a licenciatura em Violoncelo e Especialização em Ensino da Música.

Durante o seu percurso académico frequentou diversas masterclasses e workshops, alguns dos quais como aluna bolseira, tendo oportunidade de trabalhar com professores como Miguel Rocha, Matias de Oliveira Pinto, Paulo Gaio Lima, Márcio Carneiro, Pavel Gomziakov e Geir Draugsvoll (música de câmara).

Em orquestra foi dirigida por maestros como Pedro Amaral, Jean-Sébastian Béreau, Jacomo Bairos, Mauricio Dini Ciacci, Luís Carvalho, João Paulo Santos, Alberto Roque, Vasco Pearce de Azevedo, Pedro Neves, Ertug Korkmaz, Francesco Belli, Hans Casteleyen, Nick Ost, Artur Pinho Maria, Nicolaus Richter, entre outros.

Como solista apresentou a Fantasia para violoncelo e orquestra de F. Hidas – estreia em Portugal – com a Orquestra de Sopros da Canto Firme, dirigida pelo Maestro Simão Francisco.

No âmbito da música de câmara teve oportunidade de ser orientada por Paulo Jorge Ferreira, Pavel Gomziakov, Luís Pipa, entre outros. Actualmente integra o All Libitum Trio – flauta transversal, violoncelo e acordeão – com o qual se apresentou em diversas salas em Portugal e Angola, e com o qual recebeu prémios nacionais e internacionais.

  • Contrabaixo

João Alves – Brevemente Disponivel

  • Práticas de Teclado

Joaquim Roberto 

  • Baixo Contínuo 

Alexandra Sousa 
Pianista Acompanhador – Marta Menezes e Alexander Kuklin


Departamento de Sopros e Percussão

  • Canto e Técnica Vocal 

Carla PaisCarla Pais - Carla Pais – Natural de Coimbra, iniciou os seus estudos musicais no Conservatório de Música de Aveiro, onde concluiu o curso de canto na classe da Profª. Juracyara Baptista. Licenciada em Ensino da Musica pela Universidade de Aveiro na classe de canto do Prof. Doutor António Salgado. Atualmente é aluna da Profª. Susan Waters (GSMD) Londres, Pós graduada em Opera na ESMAE, sobre a orientação dos Professores António Salgado e Rui Taveira. Trabalhou com Jill Feldman, Ana Ester Neves, Rufus Müller, Maria João Pires, Claire Vangelisti, João Lourenço, Patrízia Morandini e Carleen Graham, Pat MacMahon, Pierre Mack, Laura Sarti, Susan McCulloche, Robin Bowman e Henry Herford. Em Ópera estreou-se no papel de Rainha Noite de Flauta Mágica de Mozart participando no festival de Ópera de Óbidos. Foi Diana na Opera de Orfeus nos Infernos de Offenbach, Belinda em Dido e Ineias de Purcell, e Fada de Orvalho da Opera “Casinha de Chocolate” versão portuguesa da Opera Hansel und Gretel de Engelbert Humperdinck, Primeira mulher em Fairy Queen de Purcell, Primeiro menino na Flauta Mágica de Mozart, e Rouxinol em L´enfant et les sortilèges de Ravel.

Realizou também pequenas cenas pertencentes a “Carmen” – Bizet como Frasquita, Ana nas “Alegres comadres de Windsor”  - Otto Nicolai e  Adina no Elixir de Amor. No âmbito da Oratória foi solista no Magnificat de Schütz (Portugal e França), na Cantata BWV 51 Jauchzet Gott in allen Landen de J.S. Bach, no Moteto Exultate jubilate de W. Amadeus Mozart, em Te Deum de Charpentier, Gloria HWV deest e Salve Regina HWV 241 G.F.Haendel, na Mess Bass de Gabriel Fauré, Messiah de Haendel, Cantata Herz und mund un tat un leben BWV147, Petite Messe Solenelle de Rossini, Carmina Burana de Carll Orff, Requiem de Gabriel Faure e Missa Brevis Sancti Joannis de Deo de J. Haydn  É desde Setembro 2009 membro do Coro da Casa da Música do Porto sob a direção do Maestro Paul Hillier. Trabalhou como coralista deste Coro com os seguintes Maestros James Wood, Simon Carrington, Laurence Cummings, Andrew Bizants, Andrew Parrott, Kaspars Putnina, Christoph König. É professora de Canto na Ourearte – Escola de Música e das Artes de Ourém desde 2007, na Canto Firme – Tomar e ainda fundadora e maestrina do coro de camara Essence Voices.

  • Flauta Transversal  

Simão Francisco - Flauta TransversalSimão Francisco - Simão Francisco, natural de Tomar, onde iniciou os seus estudos musicais, ingressa em 2006 na ESMAE – Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Porto – na Classe de Flauta, onde trabalhou primeiramente com o Prof. Paulo Barros e mais tarde com a Prof. Raquel Lima (com a qual   terminou a licenciatura). Obteve formação com flautistas como Nuno Inácio, Sthephanie Wagner, Olavo Barros, Vasco Gouveia, Katharine Rawdon, Vera Morais, Thies Roorda, entre    outros. Colaborou com Orquestras como Sinfonieta da   Esmae, Orquestra de Câmara da Gulbekian (Braga), Momento Perpetuum, Orquestra de Sopros dos Templários, Verão Amizade e Estágio da Banda Sinfónica da Covilhã, no qual foi chefe de naipe convidado. Nestes agrupamentos  trabalhou com prestigiados maestros, entre os quais, Alberto Roque,   Jean-Sebastien Berreau, Bruno dal Bom, Yuri Nasushkin, Martin André, Jouke Houekstra, Erik Janssen, António Saiote e Reinaldo Guerreiro.

Desenvolve atividade enquanto maestro, sendo presentemente maestro titular da Orquestra de Sopros da Canto Firme, da Orquestra de Sopros do Médio Tejo, da Orquestra Sinfónica de Thomar, da Orquestra de Sopros da Covilhã e maestro da Filarmónica SAMP – Pousos. Obteve aulas de Direção de Orquestra com os maestros Jean-Sebastien Berreau, Jouke Houekstra, Steven Davis, Félix Hauswirth, Ferrer Ferran e Alberto Roque. Enquanto maestro trabalhou com solistas como:  Tiago Rosa (Fagote), Bruno Cruz (Trompa), Bruno Pascoal (Eufónio), Fábio Palma (Acordeão), Mariana Barradas (Violoncelo), Daniel Frazão (Clarinete), José António Lopes (Saxofone), Carlos Cardoso (Tenor), Carla Pais (Soprano) e Alberto Roque (Saxofone). Colaborou com a  Classe de Composição da ESMAE, com a qual estreou várias obras de compositores portugueses.

Dirigiu, como maestro convidado, a Orquestra de Sopros da Universidade de Évora e a Unión Musical San Roque (Valência – Espanha).

Apresentou-se como solista com a Orquestra de Sopros do Médio Tejo (Tomar), com a Frysk Fanfarre Orchestra(Holanda) e com a Unión Musical San Roque (Espanha).

É desde 2013 Director Artístico do Estágio de Orquestra de Sopros do Médio Tejo. É membro fundador da Associação The BellsBrass Ensemble. Integra o corpo docente do    Conservatório de Artes da Canto Firme, no qual assume as classes de flauta transversal, música de câmara e Orquestra de Sopros. É ainda Director Artístico dos Ciclos de Concertos Cantar Natal e Maio Música, desenvolvidos em parceria entre a Canto Firme – Associação de Cultura e o Município de Tomar.

Presentemente encontra-se a terminar o Mestrado em Ensino de Música na ESART (Castelo Branco) na classe de flauta da professora Katharine Rawdon e da professora Sthephanie Wagner.

Mariana FriasMariana Frias - Natural de Tomar, iniciou os seus estudos musicais em Flauta Transversal com 6 anos de idade, com a professora Margarida Quítalo na Escola de Música Canto Firme de Tomar, na qual terminou o 12º ano do Curso Profissional de Instrumentista de Sopro e Percussão com o professor Ricardo Alves. Estudou também com os professores, Sílvia Sobral, Cátia Ferreira, Simão Francisco e Marina Camponês.

Participou em várias Masterclasses de Flauta com professores de renome, entre eles, Nuno Inácio, Vasco Gouveia, Rui Maia, Ricardo Alves, Elena Cecconi, Trine Knutsen.

Frequentou o “VIII Curso de Interpretação de Música de Câmara e Conjuntos Instrumentais”, dirigido pela professora Olga Prats.

Participou em vários estágios de orquestra como, Estágio de Orquestra de Sopros do Médio Tejo, Estágio da Banda Sinfónica da Covilhã, Estágio de Orquestra de Sopros da Ourearte, de Mação e Portel. Dos vários estágios de orquestra e agrupamentos em que participou, trabalhou com maestros como, Jouke Hoeskstra, Simão Francisco, Tiago Alves, João Paulo Fernandes, Nuno Leal, Luís Casalinho, Luís Carvalho, Alberto Roque, Luís Clemente, Reed Thomas, Jose Blesa, Odd Terje Iysebo, entre outros.

Ao participar na edição de 2014 do Concurso “Prémio Bomtempo”, foi laureada com uma Menção Honrosa do escalão Pré-Superior.

Marcou ainda presença nos “Dias da Música em Belém” no CCB na edição de 2013, com o duo de flauta e guitarra (Roberto Rodrigues) e apresentou-se a solo com a Orquestra de Sopros Canto Firme de Tomar.

Terminou a Licenciatura na Escola Superior de Música de Lisboa na classe de flauta orientada pelo Professor Nuno Ivo Cruz e na classe de Música de Câmara orientada pelo professor Nuno Inácio. Frequentou também a Orquestra de Sopros da ESML sob orientação do professor Alberto Roque e a Orquestra Sinfónica da ESML sob orientação do professor Vasco Pearce de Azevedo.

Atualmente frequenta o Mestrado em Ensino de Música na Universidade de Évora na classe da professora de flauta Monika Streitová.

No presente ano letivo encontra-se a desempenhar a função de professora de Flauta Transversal e Coro no Conservatório de Artes Canto Firme de Tomar.

  • Flauta de Bisel 

Joana Santos - Brevemente Disponível

  • Oboé 

Jorge Cardoso - OboéJorge Cardoso - Iniciou a sua formação musical no curso de oboé no Conservatório de Música de Coimbra, na classe do professor Luís Vieira. Concluiu o 8º grau no mesmo conservatório, na classe do professor Francesco Sammassimo. É licenciado pela Escola Superior de Música de Lisboa, em oboé na classe do professor Andrew Swinnerton. Concluiu o Mestrado em Ensino de Música, variante de Oboé, na Escola Superior de Música de Lisboa. Trabalhou com alguns professores nacionais e internacionais, nomeadamente Luís Vieira, Francesco Sammassimo, Pedro Ribeiro e Thomas Indermulher. Foi dirigido por maestros tais como João Paulo Fernandes, Augusto Mesquita, João Ventura, Miguel Henriques, Christopher Bochmann, Joana Carneiro, Alberto Roque, Vasco Azevedo, Pio Saloto, Ernst Schele e Martin André. Em orquestra colaborou com a Orquestra “TUTTI ENSEMBLE”, Orquestra “MARE NOSTRUM”, Orquestra “ART’QUEST”, Orquestra de Jovens dos Conservatórios Oficiais de Música (OJ.COM), Orquestra Nacional de Sopros dos Templários, Orquestra Clássica do Centro, Orquestra de Jovens de Portugal “Momentum Perpetuum”, Orquestra de Sopros e Sinfónica da ESML, Feldkirch Music Factory (Áustria), Orquestra do Norte, foi membro efectivo e chefe de naipe da Orquestra Sinfónica Juvenil, entre 2007 e 2010. Em 2013 e 2014, participou no festival “Les musicalles de Grillon”, num projecto que envolveu jovens de vários países europeus.~ Ao nível de Direção de orquestra realizou cursos com os professores Rui Carreira e Alberto Roque. Foi professor de oboé na Escola de Artes de Ourém – OUREARTE, no ano lectivo de 2010/2011. Foi professor de Oboé na Academia de Musica de Lagos, Conservatório de Musica Joly Braga Santos – Portimão, Conservatório de Musica de Lagoa. Foi professor de oboé na Academia de Música de Alcobaça entre 2014 e 2017.

Atualmente é professor de oboé na Escola de Artes da Sociedade Artística e Musical dos Pousos, no Conservatório de Música David de Sousa, na Figueira da Foz, no Canto Firme de Tomar e no Centro de Formação Artística da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais, em Tomar

  • Clarinete 

Daniel FrazãoDaniel Frazão - Daniel José Bento Frazão nasceu em Alcanede – Santarém. Iniciou os seus estudos musicais com o seu avô e mais tarde ingressa na Banda da Sociedade Filarmónica Alcanedense, tendo como professor de clarinete o Maestro Alberto Lages.

Em 2003 ingressa no Conservatório de Música Jaime Chavinha na classe de clarinete do Professor Pedro Barroca, onde, mais tarde, concluiu o 8º grau de clarinete com elevada classificação.

É licenciado em Clarinete pela Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), onde estudou com os Professores Paulo Gaspar e Manuel Jerónimo. É, também, Mestre em Ensino da Música pela ESML, tendo como orientador o Professor Doutor Manuel Jerónimo.

Frequentou diversas masterclasses de Clarinete, sob a orientação de Alberto Lages, Hélder Gonçalves, Paulo Gaspar, Manuel Jerónimo, Rui Martins, Francisco Ribeiro, António Saiote, Nuno Pinto, Domingos Elias, Fausto Corneo, Massimo Mazzone, Giorgio Feroleto, Antonello Timpani, Shigeru Ikushima, Paul Meyer e Nicholas Cox. Em Música de Câmara tem trabalhado com Professores como Luís Correia, Fernando Fontes, Paulo Pacheco e Olga Prats.

Tem trabalhado com vários Maestros, dos quais se destacam Jean-Sébastien Béreau, Christopher Bochmann, Rafael Agulló Albors, Felix Hauswirth, José Rafael Pascual Vilaplana, Dário Sotelo, Marcelo Maganha, José Blesa-Lull, Ferrer Ferran, Rafael Sanz-Espert, Timothy Reynish, Aldo Brizzi, Alberto Roque, Vasco Pearce de Azevedo, João Cerqueira, Carlos Amarelinho, Bernardo Marques, Simão Francisco, Fernando Marinho, José Ferreira Brito,  Pedro Moreira, entreoutros.

Participou em vários estágios de orquestra de sopros de onde se destacam os Estágios da Orquestra Nacional de Sopros dos Templários e a 1ª Semana de “Cultura em Segurança” da Banda da Polícia de Segurança Pública.

Participou no curso de Clarinete do 48º Curso Internacional de Música do Estoril e no 1º Meeting Internacional de Clarinete “Marcos Romão dos Reis Jr.” em Loures.

Obteve o 2º Prémio no concurso Prémio Jovens Músicos 2009 promovido pela RTP/Antena 2, participando na categoria de Música de Câmara, com o Trio Scherzando.

Integrou a Orquestra de Sopros da Escola Superior de Música de Lisboa na gravação dos seus dois CD’s para a Editora Holandesa “Molenaar”. Participou também na gravação do CD “New Harmoniemusik” da Camerata de Sopros Silva Dionísio.

Participou na estreia em Portugal da Ópera Alemã “Des Landes Werwiesen” de Juan Allende Blin, sob Direcção Artística do Professor Nicholas McNair.

  • Fagote 

11745754_934471273284513_8220829929513800078_nTiago Rosa - Tiago Rosa, natural de Almeirim é licenciado pela Escola Superior de Música e das Artes do Espetáculo do Porto (ESMAE) na classe de Fagote do Professor Hugues Kesteman. Em 2013 ingressa, na mesma escola, no Mestrado em interpretação artística e no Mestrado em Ensino da Musica.

Inicia os seus estudos musicais aos 13 anos na Banda Marcial de Almeirim com o professor e maestro António Simões Ribeiro. Em 2005 inicia o estudo do Fagote com o professor Hugo Mendes no Centro de Formação Artística da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais, onde em 2009 termina o curso básico de música com a classificação final de 19 valores.
Tocou sobre a direção de alguns maestros, dos quais se destacam: António Saiote, Raf de Keninck, Michelangelo Galeati, Pedro Neves, Ernest Schelle, Francisco Ferreira, Alberto Roque, Octávio Mas-Arocas, Délio Gonçalves, Hélder Tavares, José Pascoal Vilaplana, Harry Lyth, Luís Carvalho, Jouke Hoekstra, Erik Janssen e Jan Dobrezlewski.
Participou em orquestras como: Orquestra Sinfonieta da ESMAE, Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra ESART, Art’Sinfonic Orchestra, Aere Symphonic Wind Ensemble, Ars Lusitanea, Orquestra EPABI, Orquestra Nacional de Sopros dos Templários, Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra Sinfónica de Thomar, entre outras.
Realizou Masterclasses e Workshops de Fagote com os seguintes professores: Benny Agassi, Hugo Mendes, Rui Lopes, Pedro Silva, Carlo Colombo (Lyon), Gavin Hill, Allen Smith, Ricardo Ramos, Luc Loubry (Bruxelas), Pierre Olivier Martens, Olivier Massot, Gilbert Audin (Paris) e Giorgio Mandolesi, entre outros.
Integrou vários grupos de música de câmara, com os quais se apresentou em Portugal e Espanha, tendo realizado a estreia em Portugal do Concertino de Jurian Andriessen para Fagote e Decateto de Sopros, com o Decateto de Sopros da ESMAE. Teve orientação de música de câmara com os professores Hugo Mendes, Filipe Freitas, Jaime Mota e Hugues Kesteman.
Leciona a disciplina de Fagote no Conservatório de Artes Canto Firme de Tomar, no qual assume igualmente a disciplinas de Classe de Conjunto, Expressão Musical, Orff e Música de Câmara. Leciona ainda a disciplina de Fagote e Classe de Conjunto no Conservatório das Caldas da Rainha. É professor convidado para a realização de estágios académicos como chefe de naipe de Fagote em vários estágios nacionais. 

  • Saxofone 

Fábio MonteiroFábio Monteiro Fábio José Gonçalves Monteiro, natural de Amareleja, nasceu a 23 de Janeiro de 1988.

Com 8 anos de idade começou os seus estudos musicais na Sociedade Filarmónica União Musical Amarelejense.

No ano de 2000 ingressou no Conservatório Regional do Baixo Alentejo na classe de saxofone do professor José de Brito.

Em 2007 inicia o Curso de Música ramo interpretação variante Saxofone da Universidade de Évora na classe de José Massarrão e Mário Marques. Trabalhou também com Christopher Bochmann em grupo de música comtemporanea e coro, formação auditiva e análise musical com Benoit Gibson e orquestração com Pedro Amaral.

Já trabalhou em orquestra sob a orientação dos maestros, José de Brito, Carlos Amarelinho, Délio Gonçalves, Carlos Marques, Luís Carvalho, Tiago Alves, Alberto Roque, José Pedro Figueiredo, João Paulo Fernandes, Simão Francisco, Robert Houlihan, Rui Carreira, Pedro Andrade, Jose Ignacio Blesa, Ferrer Ferran, Felix Hauswirth, entre outros, na maior parte das vezes como chefe de naipe dos saxofones.

Foi convidado para tocar a solo no VIII Estágio de Orquestra da Canto Firme de Tomar sob a batuta do maestro Alberto Roque.

Foi convidado para lecionar masterclasses de saxofone na Banda Filamónica da Covilhã e na Banda Filarmónica de Pampilhosa da Serra.

Fez parte de projetos como The BellsWood Ensemble e Banda Sinfónica do Sul, continuando a integrar a Orquestra de Sopros do Médio Tejo, entre outros.

Atualmente frequenta o mestrado em Ensino de Música variante Saxofone na Universidade de Évora na classe do professor Mário Marques.

Acumula funções de docente de Saxofone no Conservatório de Artes- Canto Firme de Tomar e na Escola Secundária Manuel Fernandes de Abrantes.

Desde Julho de 2015 é maestro da Banda da Sociedade Filarmónica União Musical Amarelejense.

  • Trompa 

Bruno Cruz - TrompaBruno Cruz - Bruno Cruz iniciou os estudos musicais em Trompa de Harmonia aos 9 anos na Sociedade Filarmónica Gualdim Pais, em Tomar. Teve como professores Carlos Rosado, Jorge Barradas e Martha Oliveira. Em 2005 ingressou na Banda Sinfónica do Exército, onde desempenhou o cargo de 1º Trompa Solista durante 6 anos. Em 2012 finalizou a licenciatura em Trompa na Universidade de Évora, com o professor Carlos Rosado. Em 2016 concluiu o mestrado em Ensino de Música, variante de trompa e música de conjunto com 17 valores. Ao longo do seu percurso musical, participou em Masterclass com vários trompistas como Paulo Guerreiro, Hélder Vales, Lourenço Zarzo, Jorge Barradas entre outros. Participou em vários estágios de Orquestra como a Orquestra Nacional de Sopros dos Templários, Estágios de Orquestras de Sopros e Sinfónica realizados pela Escola de Música Canto Firme, Estágio de Orquestra de Sopros do Médio Tejo, Estágio de Orquestra de Sopros do Orfeão de Leiria e Estágio de Orquestra de Sopros e Percussão realizado em Mação. Participou, ainda, no Estágio de Orquestra Sinfónica de Santa Maria da Feira. Foi membro da Orquestra Sinfónica Juvenil sob a direção Christopher Consitt Bochmann e recentemente integrou a Orquestra Sinfónica Portuguesa. Frequentou, também, os workshops para jovens músicos em Oeiras. Realizou várias Masterclass e foi coordenador de Naipe nos 3 Cursos de Jovens Músicos (Filarmonias) realizado em Ansião, do 3º ao 8º Estágio de Orquestra de Sopros em Mação, do 2º ao 12º Estágio de Orquestra de Sopros do Médio Tejo, em Tomar, e realizou também o 1º Masterclass de Trompa organizado pelo Grupo Musical Pampilhosense. Em 2007 foi convidado a ser solista, interpretando o “Concerto nº1″ de W. A. Mozart realizado pela Escola de Música Canto Firme, em 2012 interpretou a peça “Cape Horn” de Otto Schwarz realizado no 1º Estágio de Orquestra de Sopros, organizado pela Sociedade Filarmónica Penelense sob a direção de Alberto Roque, em 2013 foi convidado a ir à  Holanda realizar um Concerto a Solo com a Frysk Fanfare Orkest sob a direção de Jouke Hoekstra. Em 2015 realizou dois estágios pela orquestra sinfónica da ESART como 1º Trompa solista sobe a orientação dos maestros Luís Carvalho e José Eduardo Gomes. Em 2016, no 10º Estágio da Orquestra de Sopros do Médio Tejo, em Tomar, foi solista convidado para interpretar a obra Gjallarhorn de Ferrer Ferran (estreia nacional). Atualmente, leciona na Escola de Música Canto Firme em Tomar, Sociedade Artí­stica Musical dos Pousos (SAMP) e no Orfeão de Leiria, Conservatório de Artes. É chefe de Naipe do grupo “The Bellsbrass Ensemble”, membro do grupo “Drama&Beiço” e do quinteto de metais de Leiria.

  • Trompete 

Cláudio PinheiroCláudio Pinheiro - Em 1999, iniciou os seus estudos musicais na Sociedade Artística Musical dos Pousos, na Classe de Trompete dos professores Filipe Coelho e José Barroso. Em 2003, ingressou na Escola Profissional de Artes da Covilhã, na classe de trompete do professor Rui Borba, terminando o Curso Profissional de Instrumentista de Sopro e Percussão/Variante Trompete, em 2009. Nesse mesmo ano, ingressa na Escola Superior de Artes Aplicadas de Castelo Branco na Classe de Trompete do professor António Quítalo, concluindo em 2015, a Licenciatura em Música na Variante de Instrumento. No ano 2015, ingressa no Mestrado em Ensino da Música na Escola Superior de Artes Aplicadas, tendo concluído o primeiro ano de mestrado, em 2016. Ao longo do seu percurso musical participou em vários Master Classes com Jorge Almeida, Sérgio Pacheco, Sérgio Charrinho, Pedro Monteiro, Hugo Santos, Paulo Marcello, Michael Sax, John Miler, Bruno Novion. Participou em diversos Estágios de Orquestra de Sopros e Orquestra Sinfónica, com alguns maestros de renome como Alberto Roque, Luís de Carvalho, Pedro Neves, Vasco Pires de Azevedo, Dini Ciacci. Atualmente, leciona a disciplina de trompete no Conservatório de Artes Canto Firme de Tomar,  Firmação Conservatório de Música de Mação, Sociedade Filarmónica Pombalense, Sociedade Filarmónica Vermoilense, Sociedade Filarmónica de Chãs, Filarmónica de Monte Redondoe é membro dos The Bellsbrass Ensemble, da Orquestra de Jazz de Leiria e da Fanfarra Farratuga.

 

  • Trombone

André Conde - TromboneAndré Conde – André Conde nasceu em Évora, cidade onde iniciou os estudos musicais aos cinco anos de idade na Academia de Música Eborense. Estudou Trombone na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa onde concluiu os estudos secundários como aluno do Ensino Integrado. Em 2006 é seleccionado para a Orquestra de Jovens do Mediterrâneo. Em 2009 conclui a Licenciatura em Música – Trombone, na Academia Nacional Superior de Orquestra, na classe do professor Reinaldo Guerreiro. Um ano antes (2008) é seleccionado, em concurso, para a Orquestra Gustav Mahler. Com esta orquestra participa em cinco tounées, por vários países europeus, tendo trabalhado sob a direcção de prestigiados maestros. Em Setembro de 2009 é admitido na Zürcher Hochschule der Künste (Universidade das Artes em Zurique) no Mestrado em Performance Orquestral, na classe do Professor David Bruchez, então como bolseiro da Fundaçāo Calouste Gulbenkian, formação que conclui com distinção em 2011. Durante o ano de 2010 colabora regularmente com a Tonhalle Orchester Zürich, ano em que, em concurso, entra para a Academia na Ópera de Zurique. Na temporada 2012/2013 integra a Orquestra da Ópera de Zurique na posição de Segundo Trombone e Assistente de Primeiro Trombone. No ano de 2014 conclui o Mestrado em Performance Especializada – Solista, igualmente Universidade de Artes de Zurique e novamente na classe de David Bruchez. No âmbito desta formação é convidado para um Concerto a Solo com Orquestra na República Checa em Karlovy Vary. Como instrumentista tem ainda formação nas áreas de música antiga e contemporânea na Universidade de Artes de Zurique e em Jazz na Escola de Jazz do Hot Club Portugal e na Universidade de Artes de Zurique. Frequentou várias Masterclasses com diversos trombonistas internacionalmente reconhecidos, como Jacques Mauger, Jean Raffard, Dennis Wick, Charles Vernon, Zoltan Kiss, Jörgen van Rijen, David Taylor, Nitzan Haroz, Jay Friedman e Joseph Alessi. Tem ainda integrado diversas orquestras nacionais e estrangeiras como trombonista convidado: Orquestra da Ópera de Zurique ; Malaysian Philharmonic Orchestra ; Tonhalle Orchester Zürich; Orquestra Gullbenkian, Orquestra Metropolitana de Lisboa; Orquestra Sinfónica do Porto – Casa da Música; Orquestra Sinfonietta de Lisboa; Orquestra Clássica do Sul; entre outras. Integrou a Orquestra Gulbenkian na temporada de 2015-2016 como Trombone – 1° Solista. É actualmente Doutorando na Universidade de Évora no curso de Música e Musicologia – Especialidade Interpretação e docente de trombone no Conservatório de Artes Canto Firme de Tomar, Conservatório da Metropolitana de Lisboa e Universidade de Évora.

  • Eufónio 

Pedro AndradePedro Andrade - Nasceu em Torres Novas a 10 de Dezembro de 1984

Iniciou os seus estudos musicais com 5 anos na Banda Operária Torrejana na classe de percussão, passando pelo Trompete e Eufónio. Participou em vários cursos de aperfeiçoamento na classe de Eufónio, nos anos de 2002, 2003, 2006, 2007 e 2008. Colaborou  no estágio para Instrumentistas de Sopros Torrejanos como Professor de Tuba\Eufónio em 2006, em 2010 colaborou com a Orquestra Nacional de Sopros dos Templarios como professor de Eufónio. Tem colaborado nos últimos anos nos Estágios de Orquestra de Sopros do Medio Tejo, e Estágio de Orquestra de Sopros de Mação.

Estudou Eufónio com o professor João Aibéo, Formação Musical, Coro e Analise e Técnicas de Composição no conservatório de Tomar (Centro de Formação Artistica da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais).  Licenciado em Musica na Univercidade de Évora no ano de 2011, onde se formou em Eufónio com o prof. Jarrett Butler, Formação Auditiva, Analise, Improviso e Criactividade, e Orquestração com o prof. Pedro Amaral.

Foi Maestro da Banda Operária Torrejana e director da escola de música desde Janeiro de 2006 até Março de 2009. Foi Maestro da Sociedade Musical Recreativa do Xartinho e responsável pela escola de musica da Sociadade Musical Recriativa do Xartinho  desde Março de 2009 até Agosto de 2016.

Actualmente é Maestro da Sociedade Velha Filarmonica Riachense e responsavel pela escola de música. É Professor de Tuba\Eufónio na escola de artes Canto Firme em Tomar. É Professor de Tuba\Eufónio no conservatorio de música “Ourearte” em Ourem. É Professor de Tuba\Eufónio no Centro de Formação Artistica da Sociedade Filarmonica Gualdim Pais. É Professor de Tuba \Eufónio na Sociedade Artistica Musical dos Pousos.

  • Tuba 

Pedro OliveiraPedro Oliveira – Pedro Filipe Mendes Silva de Oliveira iniciou os seus estudos musicais na Banda da Sociedade Filarmónica Instrução e Recreio Carregueirense “Victória” aos 6 anos de idade, sendo o seu primeiro instrumento trompete. Aos 16 anos inicia os estudos em tuba com o Professor Victor Gonçalves que o encaminha um ano mais tarde para o Conservatório Nacional de Música de Coimbra. Conclui o 8ºGrau na Escola de Música da Sociedade Filarmónica Gualdim Pais com o Professor João Aibéo. Terminou a licenciatura em Tuba, na Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) na classe de Tuba do Professor Ilídio Massacote, onde frequenta neste momento o 2º ano de Mestrado em Ensino da Música – Tuba.

Ao longo dos anos tem frequentado várias Masterclasses em Tuba, Eufónio e Direção de Orquestra. Trabalhou com professores como Mike Forbes, Gene Pokorny, Anne Jelle Visser, Oren Marshall, Daniel Perantoni, Jon Sass, Robert Tucci, Roland Szentpáli, François Thuiller, Sérgio Carolino, Adélio Carneiro e Nuno Machado. Participou em vários cursos e Estágios de Orquestra de Sopros como professor de tuba sob a direção de vários maestros, nomeadamente, Félix Hauswirth, Jacob de Haan, Ferrer Ferran, Jouke Hoekstra, José Manuel Ferreira de Brito, Alberto Roque, Simão Francisco, Carlos Marques, Francisco Ferreira, Ricardo Carvalho e Henrique Piloto. Em Agosto de 2016 foi convidado a trabalhar com dois ensambles de metais graves no festival de metais graves Gravíssimo!.

Atualmente, é músico Solista A na Orquestra Sinfónica da Cascais, na Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras, na Orquestra Internacional da Costa Atlântica (Atlantic Coast Orchestra), na Orquestra Clássica de Fátima e reforço de palco da Orquestra Sinfónica Portuguesa do Teatro Nacional de São Carlos. Faz parte também de uma Brass Band “The Bells Brass Ensemble” sob a orientação do Prof. Hugo Assunção. É professor de tuba do Conservatório de Música de Cascais e do Conservatório de Artes da Canto Firme de Tomar. Desde Agosto de 2016 é o maestro da Sociedade Instrução Musical Rossiense – Rossio ao Sul do Tejo, Abrantes.

  • Percussão 

11722148_934456889952618_383088050007334701_oHugo Ribeiro - Natural de Coimbra, iniciou os seus estudos musicais na academia de música e tecnologias de Coimbra.

Ingressou na classe de percussão na Sociedade Filármonica Gualdim Pais do professor Luiz Ferreira, licenciando-se em música, na variante percussão na classe do professor Eduardo Lopes pela Universidade de Évora.
Participou em várias masterclasses e cursos de aperfeiçoamento entre os quais Mário Teixeira, Fernado Chaib, Kuniko Kato, Svet, entre outros.
Apresenta-se regularmente em concertos com o grupo de percussão do Conservatório de Artes Canto firme e com vários grupos e ensembles.
É professor orientador do naipe de percussão dos estágios de Orquestra de Tomar e de Mação desde 2007. 

É docente de percussão , diretor pedagógico, diretor do curso profissional de música na escola de Canto Firme em Tomar bem como docente na Ourearte.

Pedro Fonseca – Brevemente Disponível

Departamento de Ciências Musicais
  • Teoria e Análise Musical

Catarina Bispo

Catarina Bispo – Catarina Bispo nasceu em 1990 e é natural de Lisboa. Estudou piano no Conservatório de Música das Caldas da Rainha, no Conservatório Regional do Algarve Maria Campina e na Escola de Música de Nossa Srª do Cabo onde frequentou diversas masterclasses de piano. Licenciou-se em Composição na Escola Superior de Música de Lisboa onde foi aluna de professores como Luís Tinoco, Sérgio Azevedo e Carlos Marecos. Encontra-se actualmente a frequentar o Mestrado em Ensino da Música.

  • Física do Som 

Catarina Bispo

  • História da Cultura e das Artes

sousaAntónio Luís Linhares Corvelo de Sousa, frequentou a Licenciatura de História da Universidade de Coimbra, diplomado em Piano e Composição na classe do Professor Mário de Sousa Santos, Licenciado em Ciências Musicais e Mestre em Musicologia Histórica pela Universidade Nova de Lisboa,  com a apresentação de uma Tese sobre Fernando Lopes-Graça.

Estudou regência coral com o Maestro José Robert, para além do Director da Ópera de Sófia Arnaldoff, e do Director dos Swingle Singers - Ward Swingle.

Na juventude foi pianista e compositor de grupos de música ligeira como Filarmónica Fraude, Banda do Casaco, Pedra e Cal e Director Artístico do Grupo Coral de Seiça e do Chorus Auris.

Foi Professor Efectivo de Educação Musical na Escola Gualdim Pais de Tomar, Delegado à Profissionalização em Exercício de Professores de Educação Musical e Responsável Nacional do FAOJ pela Formação na Área da Música para a Juventude.

No âmbito da composição possui vários discos gravados com obras suas desde 1970, para pequenos conjuntos, voz e orquestra.

Escreveu música para Teatro, de onde se destaca a Crónica dos Bons Malandros de Mário Zambujal com dramaturgia e encenação de Carlos Carvalheiro, Auto da Alma de Gil Vicente e Viriato Rei de Osório de Castro e a Afilhada de St António, todas com dramaturgia e encenação de João Mota. Ainda no âmbito de música para teatro foi Director Musical da peça Casa da Lenha de António Torrado com encenação de João Mota e galardoado com o prémio de Direcção Musical no Festival Internacional de Teatro de Toyama, Japão, com a peça Omelete, com texto e encenação de Carlos Carvalheiro.

No âmbito da investigação musicológica é colaborador do Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical da Universidade Nova, tendo publicados vários Artigos e ensaios sobre Música Portuguesa Contemporânea e Fernando Lopes-Graça, sobre o qual publicou o livro “A Construção de um Identidade”, para além da Música no Convento da Ordem de Cristo.  .

É Director Artístico do Coro Canto Firme de Tomar desde a sua fundação (1980) e, Responsável Científico da Casa Memória Lopes-Graça, Professor de Formação Musical, História da Música e Coro na Escola de Música Canto-Firme.

  • Formação Musical 

Inês SaraivaAna Inês Saraiva - Iniciou os seus estudos musicais, aos 10 anos, na Associação Cultural da Beira Interior (ACBI), na Covilhã, onde estudou Formação Musical e Ensemble de Percussão com Luís Cipriano e Violino com Patrícia Carvalho. Desde 2003 até 2013 foi primeiro soprano do Coro Misto da Beira Interior dirigido por Luís Cipriano, com o qual conquistou inúmeros prémios em diversos concursos corais internacionais, tais como: 7º Festival e Concorso Corale Internazionale “Venezia in Musica” (Lido di Jesolo, Veneza, Itália) categorias de Música Sacra (medalha de ouro) e Coro Misto (medalha de prata); 3rd International Anton-Bruckner Choir Competition & Festival (Linz, Austria, 2011) – categorias de Música Sacra (medalha de ouro) e Coro Misto (medalha de prata);

Como reforço do Coro Misto da Beira Interior do qual já foi membro, participou no concurso coral 5th Per Musicam ad astra – Copernicus Choir Festival and Competition (Torun, Polónia, 2017) onde o coro obteve 4 medalhas distribuídas da seguinte forma: categoria de Coros Mistos (B1) e categoria de “Pop and Jazz” (medalhas de ouro e vencedores da categoria B1), categoria de Música Popular e categoria de Música Sacra (medalhas de Prata).

Em 2010 inicia a licenciatura em Música – variante de Formação Musical na Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) do Instituto Politécnico de Castelo Branco, terminando-a em 2013.

Em 2012 inicia os seus estudos de Canto frequentando, até ao presente, o curso livre de Canto com Orlanda Velez Isidro.

Em Maio de 2016, terminou o Mestrado em Ensino de Música – variante de Formação Musical e Música de Conjunto na ESART.

Desde 2014 é docente na Conservatório de Artes Canto Firme de Tomar. Lecciona ainda no Conservatório de Música de Coimbra e na Rockschool Leiria.

Jorge Barbosa

Departamento de Iniciação Musical
  • Expressão Musical

Alexandra Sousa e Tiago Rosa

  • Música e Movimento 

Alexandra Sousa e Mariana Frias

  • Música para Pais e Bebés 

Alexandra Sousa e Joana Santos

  • Projeto FIRMINHOS: Orquestra Suzuki

Mariana Barros e Ana Luzia Lapo

  • Projeto FIRMINHOS: Orquestra Orff 

Alexandra Sousa e Tiago Rosa

Departamento de Classes de Conjunto
  • Orquestra de Sopros e Percussão  

Simão Francisco

  • Orquestra de Cordas e Teclas

Alexandra Sousa

  • Orquestra de Guitarras  

Rafael Umbelino

  • Música de Câmara

Alexandra Sousa e Tiago Rosa

  • Ensemble de Metais e Percussão 

Bruno Cruz

  • Ensemble de Cordas 

Mariana Barros

  • Orquestra Vocacional  

Fábio Palma, David Ferreira e Tiago Rosa

  • Coro Infantil e Juvenil 

Ana Inês Saraiva, António de Sousa, Mariana Frias, Alexandra Sousa e Tiago Rosa

  • Jazz Big Band 

Joaquim Roberto

Departamento de Teatro
  • Interpretação

JOAOMOTAJoão Mota Nasceu em Tomar em 1942.

Iniciou a sua carreira como actor nos programas da Emissora Nacional. Em 1957 ingressou no Teatro D. Maria II, onde permaneceu 10 anos. Trabalhou, entre outros, com os seguintes encenadores: Amélia Rey Colaço, Palmira Bastos, Varela Silva, Pedro Lemos, Jacinto Ramos, Carlos Avilez, Caetano Luca de Tena, Henriette Morineau, Adolfo Gutkin, José Tamayo, Francisco Ribeiro (Ribeirinho), Paulo Renato, Armando Cortez, Henrique Santana, Michel Benthel, Jorge Listopad e Celso Cleto.

Fundou a COMUNA TEATRO DE PESQUISA (1972) companhia que ainda hoje dirige e pela qual já encenou mais de 90 Produções.

Como actor e encenador apresentou-se nos mais variados países como Espanha, França, Reino Unido, Alemanha, Polónia, Jugoslávia, México, Guatemala, Costa Rica, Venezuela, São Salvador, Colômbia, Brasil, Itália, Bélgica e Hungria.

Foi o primeiro professor convidado para a reforma do ensino artístico protagonizado por Madalena Perdigão e Veiga Simão.

Foi, também, pioneiro da Expressão Dramática em Portugal, tendo trabalhado com João dos Santos e Arquimedes da Silva Santos na Escola Superior de Educação pela Arte.

 Foi fundador e director da Convenção Teatral Europeia.

Dirigiu cursos de teatro em diversas cidades fora de Portugal como: Mérida (Espanha), Saint Étienne,Reims (França), Tournai (Bélgica), Las Palmas (Canárias), São Paulo e Recife (Brasil), Bolonha (Itália), para além de orientar inúmeros cursos de formação no nosso País, como por exemplo o Curso de Expressão Dramática da Fundação Calouste Gulbenkian.

Dirigiu o “Auto da Alma” para o filme “O Mal Amado” de Fernando Matos Silva

Júri de diversos concursos, como por exemplo o de apoio à Edição de Dramaturgia Portuguesa Contemporânea do Instituto Português do Livro e das Bibliotecas / Ministério da Cultura e Centro Nacional de Cultura.

Foi nomeado Professor da Escola Superior de Teatro e Cinema em 1972 onde foi director do departamento de teatro e Presidente do Concelho Directivo (1996 a 2002).

Fez parte em 2002/2005 da comissão de avaliação do ensino Superior Artístico.

Foi em 2002/2003 Director do Mestrado em Teatro e Educação na Universidade do Algarve.

Em 1992 foi agraciado com a comenda da Ordem do Infante D. Henrique.

Aposentado na qualidade de Professor Adjunto da Escola Superior de Teatro e Cinema do Instituto Politécnico de Lisboa.

Atualmente é Professor e Director do Curso Profissional de Interpretação, no Conservatório de Artes Canto Firme numa parceria com o Agrupamento de Escola Templários em Tomar.

  • Movimento  

João Mota

  • Voz

João Mota

  • Dramaturgia

Guilherme FilipeGuilherme Filipe - Foi docente de inglês e alemão, do ensino secundário, entre 1974 e 1985. Cofundou o English Teaching Group (1976-1979), projeto piloto do Ministério da Educação para o ensino do inglês através do jogo dramático, a que se seguiu o Grupo de Comunicação e Teatro (1980-1985), no âmbito da formação de professores em ensino multidisciplinar. Desde 2000, vem desenvolvendo atividade no ensino artístico (Escola Superior de Teatro e Cinema, Curso Livre de formação de Atores da Universidade Moderna de Lisboa, Curso Livre de formação de Atores da Universidade Lusíada, Palco Levantado a 2, Inimpetus, Nicolau Breyner Academia), como professor de interpretação, dramaturgia e história do teatro. Desde 2008, vem investigando na área de documentação teatral, enquanto investigador integrado do Centro de Estudos de Teatro (CET), da Faculdade de Letras/ Universidade de Lisboa (FLUL), tendo produzido ensaios e artigos em diversas publicações, e lecionado, como professor convidado, na FLUL, as disciplinas de Análise do texto dramático e História do Teatro em Portugal.

Iniciou uma carreira na área do espetáculo em 1981, em Orpheu, encenado por Águeda de Sena, no antigo Teatro Aberto (Lisboa). Desde então desenvolveu atividade no teatro, cinema e televisão, tanto em produções nacionais, como estrangeiras. Em 1986, fundou a companhia de teatro profissional Persona – Teatro de Comédia, a qual divulgou dramaturgia portuguesa inédita, de autores como António Pedro, Augusto Abelaira e Miguel Rovisco, entre outros.

Licenciado pela Escola Superior de Teatro (IPL), Mestre em Estudos de Teatro (FLUL) e Doutor em Estudos Artísticos (Estudos de Teatro) (FLUL).

  • História e Cultura das Artes  

Guilherme Filipe

  • Psicologia

Susana RodriguesSusana Rodrigues - Psicóloga Clínica, nascida em Lisboa, mas partilhando naturalidade afetiva com a cidade de Tomar desde 1998.

Frequência do Ensino Secundário, na Escola Secundária de Jácome Ratton, na área Científico-Natural concluída em 2006.

Ingresso no Ensino Superior, em Setembro do mesmo ano, na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa.

Após a Licenciatura em Ciências Psicológicas, ingresso no Mestrado Integrado em Psicologia Clínica e da Saúde – Núcleo de Psicologia Dinâmica, em setembro de 2009. Sendo o mesmo concluído em novembro de 2011.

A Monografia de Mestrado incidiu sobre “ Vinculação materna pré-natal, Depressão pós-parto e, perceção materna do comportamento do recém-nascido”.

Estagiária curricular no Centro de Desenvolvimento do Hospital de D. Estefânia (set. 2010 – nov.2011), psicóloga em regime de voluntariado entre nov.2011 e Fev. 2012.

Estágio Profissional, em protocolo com a Ordem dos Psicólogos Portugueses (Ago.2013 – Out. 2014), na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens em Risco de Sintra Ocidental, para acesso à Ordem enquanto membro efectivo.

Estágio Profissional, em protocolo com o IEFP, na Associação Lusocaboverdeana de Sintra (Abr. 2014 – Abr. 2015).

Atualmente, com funções de Psicóloga Clínica no Centro de Acolhimento Temporário de Santa Iria, Santa Casa da Misericórdia de Thomar.

Prática privada, na Promind, LDA., particularmente com crianças e adolescentes.

No presente ano letivo, “professora” de Psicologia no Curso Profissional de Interpretação, no Conservatório de Artes Canto Firme.

Outras Ofertas
  • Yoga para Pais e Bebés

Carolina Marcelino

  • Movimento para Pais e Bebés

Susana Valério: Es-Passo de Dança

  • Academia de BALLET

Susana Valério: Es-Passo de Dança

  • Produção Musical  

Cató Calado