A carregar eventos

« Todos os Eventos

  • Este evento já ocorreu.

IV Ciclo de Masterclasses Canto Firme

Março 23 - Abril 28

IV Ciclo de Masterclasses Canto Firme

23 de Março a 28 de Abril de 2019 – Tomar

 

  

Trompa - 23 e 24 de Março: Prof. Paulo Guerreiro

Paulo GuerreiroPaulo Guerreiro, natural de Loulé – Licenciado em Trompa pela ESART, detentor do Título de Especialista em Trompa, Doutorando em Música e Musicologia Especialidade em Instrumento na Universidade de Évora, ocupa atualmente a posição de Coordenador de Naipe-Trompa Solista da Orquestra Sinfónica Portuguesa e é membro da Orquestra Barroca Divino Sospiro. Estudou com os Professores António Costa e Jonathan Luxton na Escola de Música do Conservatório Nacional e na Escola Superior de Música respetivamente. Em 1990 foi membro efectivo da Orquestra de Jovens da Comunidade Europeia.

É membro do Quinteto Flamen, com o qual já participou em diversos concertos pelo País e no Festival Internacional de Música de Macau e da Orchestrutópica.

É membro Fundador do quinteto de Metais Lisbon Brass.

Leccionou as classes de Trompa e Música de Câmara na Escola Profissional de Música de Almada, onde foi coordenador dos Cursos de Instrumento, Música de Câmara e Música e Novas Tecnologias. Ministrou as classes de Trompa e Música de Câmara durante 5 anos nos Cursos de Música de Loures.

Ministrou Master Classes de Trompa, em Castelo Branco na Escola Superior de Artes Aplicadas, na Escola Profissional de Artes da Beira interior (Covilhã), no primeiro congresso de Trompas realizado na Casa da Música no Porto 2008, no ano de 2014 em Curitiba (Brasil), na Academia de música de Castelo de Paiva, conservatório regional de Palmela, Conservatório d’Artes de Loures, etc.

Foi Professor de Trompa e Música de Câmara na Licenciatura em Música do Instituo Jean Piaget em Almada. Actualmente leciona Trompa na Escola Superior de Artes em Castelo Branco (ESART), no Instituto Jean Piaget em Almada (Mestrado em Ensino da Música) e na Escola Superior de Música em Lisboa (ESML).

Com a Orquestra Barroca Divino Sospiro tem feito inúmeros concertos no País e estrangeiro, em festivais importantes como a Festa da Música no Japão em 2006, Festa da Música em Lisboa, Festival de Música antiga em Ambronay, Festival Internacional de Música de Mafra, entre outros. 

   
Flauta Transversal - 23 e 24 de Março: Prof. Monika Streitová

42830112_10213191022397903_3840586629693571072_nMonika Streitová Flautista, investigadora e professora de flauta na Universidade de Évora. Graduou-se com a classificação máxima na Universidade de Bratislava (Eslováquia) no Departamento de Música e Artes Dramáticas, onde se especializou em flauta transversal. Nesta universidade realizou os seus estudos de doutoramento em Interpretação de Música Contemporânea sob a orientaçãode M. Jurkovic. Realizou investigaçãoo científica de pós-doutoramento na Universidade de Aveiro e faz parte de uma unidade de investigação do Instituto de Etnomusicologia da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. O seu reportório inclui mais de cem estreias mundiais. Trabalhou, com as estações BBC, ORF2 Viena e BRB Berlim. Gravou 5 CD a solo e 18 CD com vários grupos musicais. O seu CD “Luminiscence”, a solo, recebeu a mais elevada menção por parte da crítica da Rádio 2 da República Checa. “Dual”, o CD com cinco obras em estreia mundial, gravado com a pianista Sofia Lourenço e editado em Março 2008 foi apresentado na Casa da Música no Porto. Tem-se apresentado, quer em projetos a solo, quer em diversas for-mações, em vários países, destacando-se a Alemanha, Áustria, Brasil, Emirates Árabes, Espanha, França, Holanda, Hungria, Inglaterra, Japão, Polónia, Portugal, República Checa, República Eslováquia e Suíça. A propósito do seu trabalho a revista Ípsilon do jornal o Publico de 27/09/2010 dizia o seguinte: “Destaquem-se ainda os espectaculares intérpretes Monika Streitová (flauta) e Pedro Rodrigues (guitarra), que mostraram que a música contemporânea tem hoje em Portugal soberbos intérpretes à disposição.” (Pedro Boléo, musicólogo e crítico de música; Jornal Público). “Monika Streitová e Pedro Ro-drigues, tanto enquanto Ensemble como individualmente, mostraram qualidades extra-ordinárias de interpretação, nomeadamente uma enorme segurança, sensibilidade, garra e capacidade de adaptação a textos musicais de qualidades distintas e diversas.” (Tiago Cabrita, compositor; Espaço para a Crítica da Nova Música, acerca do recital no CCB Lisboa.)

“It was always a great pleasure for me to hear playing of Monika Duarte Streitová, her musicality and sensitivity. I am continuously convicted that Monika Duarte Streitová is a great talent of th fluteplaying, and also a very intelligent and sensible musician.” (István Matuz, Professor of the Debrecen University and International Concert-soloist).”

  

Violoncelo - 26 de Março: Prof. Luís Sá Pessoa

luisIniciou os seus estudos de violoncelo no Conservatório Nacional de Lisboa com a professora Pilar Torres, tendo terminado o curso superior em 1983.Estudou interpretação de Música Antiga com o professor Santiago Kastner. Como bolseiro da Fundação Gulbenkian estudou na Escola Superior de Música de Utrecht na Holanda com Elias Ariscuran onde obteve o diploma; professor de violoncelo.Com uma bolsa da S.E C. prosseguiu os seus estudos com Hidemi Suzuki em violoncelo barroco na Academia de Música Antiga de Amesterdão. Em Portugal tem participado em diversos festivais de Música por todo o País assim como no estrangeiro. Membro fundador de diversos grupos de Música de Câmara tais como Capela Real, Quarteto Lacerda, Scherzo Ensemble entre outros. Desenvolveu, a par da sua carreira como intérprete de música erudita, uma participação constante com músicos como, Pedro Barroso Amélia Muge, José Peixoto, João Afonso, Pedro Osório e Manuel Freire entre outros. Como Professor, tem no seu currículo ex-alunos que ocupam lugares de destaque, na vida profissional em Portugal e no estrangeiro. Participa como membro do júri, nos concursos internacionais do Fundão e Júlio Cardona na Covilhã. Atualmente leciona violoncelo na E.A.M.C.N.

  

Eufónio - 28 e 29 de Março: Prof. Bruno Pascoal

19989404_768878093285744_1598292146058766735_nEm 1991 iniciou os estudos na Sociedade Filarmónica Euterpe Meiaviense (Meia Via, Torres Novas) em Eufónio. Em 1997 iniciou os estudos no Conservatório do Centro de Formação Artística Gualdim Pais de Tomar na Classe dos professores Sérgio Carolino e Adélio Carneiro. Terminou 8º Grau com nota final de 19 valores na disciplina de Eufónio.

Participou em vários Masterclasses com professores de nacionalidade portuguesa e estrangeiros como por exemplo,Philip Smith (trompetista solo da Orquestra Filarmónica de Nova Iorque), Joseph Alessi (1º trombone da Orquestra Filarmónica de Nova Iorque), Sérgio Carolino, Anne Jelle Visser, François Thuillier, German Brass, Roger Bobo, Thomas Rüedi, Adam Frey, Steven Mead, Bastien Baumet, Demondrae Thurman entre outros. Participou nos 1º, 2º, 3º e 4º estágios da Orquestra Nacional de Sopros dos Templários sob direcção de António Saiote.

Foi membro fundador da primeira Banda de Metais Portuguesa, sedeada no Algarve; membro fundador do Ensemble de Tubas e do Quarteto de Tubas do Centro de Formação Artística Gualdim Pais sob a orientação do tubista Sérgio Carolino; membro fundador do quinteto de metais “Meia Via Brass”

Foi professor de Eufónio na escola de música da Sociedade Filiarmónica Euterpe Meiaviense.

Colabora actualmente como docente na disciplina de Eufónio no Conservatório de Música Choral Phydellius em Torres Novas. Colaborou frequentemente com o Ensemble de Metais da Academia Nacional Superior de Orquestra sob direção de Reinaldo Guerreiro.

Em 2011 terminou a Licenciatura em Música na Universidade de Évora na classe de Euphonium do professor Jarrett Butler com nota final de 18 valores na disciplina de Eufónio. Em 2012 foi membro fundador do Ensemble de Metais e Percussão “The BellsBrass Ensemble” onde é executante. Em 2014 foi membro fundador do “Duo’Mil”, duo de Euphonium e Percussão, no qual faz parte e tem vindo a realizar concertos até então. Em 2016 foi membro fundador do quarteto de Eufónios “Voco Ensemble”, com o qual realiza concertos regularmente.

De momento encontra-se a terminar o Mestrado na Escola Superior de Música de Lisboa, na Variante de Ensino em Eufónio.

Atualmente é 1ºsargento músico, executante de Eufónio nos Quadros da Banda Sinfónica do Exército.

  

Percussão - 30 de Março: Prof. Nuno Aroso

Nuno Aroso_nProfessor, investigador e um dos mais activos solistas de percussão europeus da actualidade, Nuno Aroso desenvolve a sua carreira focado na investigação artística e fomento da criação de literatura para a sua área instrumental.

Tocou em estreia absoluta mais de 120 obras e gravou parte deste repertório em inúmeras edições discográficas. Apresenta-se ao vivo em palcos da música contemporânea em Portugal, França, Alemanha, Bélgica, Espanha, Itália, Eslovénia, Brasil, China, Tailândia, África do Sul, Argentina, Grécia, Suécia, Inglaterra, Canadá, Bulgária, Tunísia, Escócia, Coreia do Sul, Japão, Chile, Eua,

Particularmente motivado para o enriquecimento e renovação do concerto enquanto espetáculo completo e multidisciplinar, desenvolve com frequência relações artísticas com outras disciplinas: Dança, Cinema, Teatro, Literatura.

O compromisso com a música de câmara, assim como o interesse pelo experimentalismo e pela improvisação, levam Nuno Aroso a colaborar com variados coletivos, um pouco por toda a Europa.

Nuno Aroso licenciou-se pela Escola Superior de Música do Porto com a classificação máxima e prosseguiu estudos em Estrasburgo e Paris. É doutorado pela Universidade Católica Portuguesa, onde defendeu a tese: The Gesture ́s Narrative – Contemporary Music for Percussion.

É professor no Departamento de Música da Universidade do Minho e na recentemente criada, Escuela Superior de Música de Extremadura, em espanha. Estende a sua atividade docente a outras prestigiadas universidades, conservatórios e festivais de música um pouco por todo o mundo, onde promove a realização de masterclasses, comunicações, conferências e seminários. McGill University (Canadá), Universidade Federal de Belo Horizonte (Brasil), Conservatório Superior de Aragão (Espanha), Concorso Musical Paolo Serrao (Itália), Festival de Percussão de Uberlandia (Brasil), Days of Percussion – Athens (Grécia), World Percussion Movement – Bari (Itália), Universidade Federal da Bahia (Brasil), Oficinas da Música de Curitiba (Brasil), Connect Festival – Mälmo (Suécia), Konart Percussion Academy Barcelona (Espanha), Universidade de la Plata (Argentina), Conservatório de Macau (China), Conservatório de Paris (França), Northwestern University (EUA), University North Texas (EUA), Percusion de Patagónia (Argentina), Valencia Percussion Academy, (Espanha), Manhattan School of Music (EUA).

Nuno Aroso assina o seu modelo de baquetas para a Elite Mallets e toca com instrumentos Zildjian e Adams 

  

Trombone - 30 de Março: Prof. Ricardo Pereira

MJS_3695Ricardo Pereira, natural de Braga, iniciou os seus estudos musicais com o seu pai, António Pereira. Estudou no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga (1999-2006), tendo concluído o curso de instrumentista na classe do professor Zeferino Pinto, obtendo a classificação máxima e distinguido com o Prémio de Mérito Artístico.

Prosseguiu os seu estudos na Escola Superior de Música, Artes e Espetáculo do Porto (2006-2009) onde concluiu a Licenciatura em Música, variante Trombone, com a distinção máxima na classe do professor Severo Martinez.

Nos anos entre 2011-2013 estudou na Universidade do Minho concluindo o Mestrado em Ensino de Música.

Desde 2018, frequenta o Doutoramento em Música, ramo performance, na Universidade de Aveiro.

Atualmente é solista do Remix Ensemble Casa da Música.

Durante o seu percurso teve oportunidade de trabalhar com professores e solistas como Simon Cowen, Jacques Mauger, Severo Martinez, Robert Blossom, Jon Etterbeek, Petur Eiriksson, Gyorgy Gyivicsan, Stefan Schulz, Otmar Gaiswinkler, Andrea Conti, Charles Vernon, Mark Hampson, Andreas Klein, Achilles Liarmakopoulos, Toby Oft e Bart Claessens.

Vencedor do 1º Prémio no “16º Chieri International Competition 2016”. Vencedor do 1º Prémio no “Prémio dos Jovens Músicos” (RDP-RTP 2013). Vencedor do 1º Prémio no “2º Concurso Nacional Terras de La Salette” 2009. Premiado com o 3º Prémio no “Prémio dos Jovens Músicos” (RDP-RTP 2008).

Como trombonista solista integrou a European Union Wind Orchestra, Orquesta Joven de la Sinfónica de Galicia, International Mahler Orchestra, The World Orchestra, com quem realizou concertos por toda a Europa, e Lucerne Festival Academy.

Colaborou com diversas orquestras como trombonista solista, sendo de destacar a Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra Clássica da Madeira, Orquestra do Algarve, Orquestra do Norte, Orquestra Sinfónica do Porto Casa da Música, Orquestra Gulbenkian, Orquesta Sinfónica de Galicia e Klangforum Wien.

Tem sido convidado a desenvolver, um pouco por todo o país, workshops, masterclasses, estágios e júris em concursos.

Apresentou -se como solista com a Orquestra da Escola Profissional de Música de Viana do Castelo, com a Banda Sinfónica Portuguesa, Orquestra do Norte, a Chieri Sinfonietta Orchestra e a Orquestra Gulbenkian.

É autor de algumas obras musicais, editadas pela AVA Musical Editions. Durante as temporadas de 2010 e 2011 foi solista na Orquestra do Norte.

Atualmente é professor no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga e na Escola Superior de Música de Lisboa.

É   membro fundador dos projetos “Mr SC & The Wild Bones Gang” e “Portuguese Brass”

Atualmente é artista VICENT BACH.

  

Clarinete - 30 e 31 de Março: Prof. Nuno Pinto

“A música diz-nos o futuro. Ora, empresta-me aí o clarinete para o espreitar.”

Pinto, Nuno, dixit 1985 à saída da escola primária em Mateus, Portugal [registo áudio do pai]

Grande

Se é verdade que a música pode constituir-se enquanto uma profecia, a afirmação em epígrafe de Nuno Pinto confirma-a. Os músicos, quando expostos na sua plenitude, jogam um jogo duplo. São, ao mesmo tempo, seminais e profetas.

Nuno Pinto sempre soube desse privilégio e, por isso, decidiu dar ao seu clarinete um toque de Midas: transformou-o em objecto ubíquo onde a sua arte está em tudo que toca e aonde ele, o seu artífice, é um verdadeiro xamã sonoro.

Saul Silva, António Saiote, Michel Arrignon e Alain Damiens deram forma e apuro ao seu gesto artístico tornando-o singular no panorama nacional e internacional, bastando para isso dar aqui nota da quantidade apreciável de música por si registada [17 registos discográficos], pela quantidade de estreias [150] realizadas e pela música [23 obras] a si dedicada.

Tudo isto para Nuno Pinto poder declarar, em voz alta e em clarinete baixo, que a música torna audível o mundo que há-de vir, usando para isso a música contemporânea, as músicas do e no mundo e o Jazz, e sempre acolitado por uma criteriosa selecção de agrupamentos musicais que vão desde o Trivm de Palhetas aos Clarinetes Ad Libitum, desde a Camerata Senza Misura ao Sond’Art Eletric Ensemble.

Acrescente-se ainda e de uma forma destacada que, não satisfeito com a sua dádiva interpretativa ao mundo da música, Nuno Pinto declara diariamente o seu fervor ao estudo da música dando aulas de clarinete – la crème de la crème – na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Politécnico do Porto.

  

Trompete - 31 de Março: Prof. José Almeida

 José AlmeidaJosé Almeida licenciou-se em trompete na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco (ESART) na classe do professor António Quítalo, onde mais tarde também terminou o Mestrado em Performance e onde se encontra neste momento a terminar o Mestrado em Ensino de Música especialização Trompete e Classe de Conjunto.

Participou em diversos masterclasses com John Miller, Pierre Dutot, John Aigi, Spanish Brass, Giuliano Sommerhalder, Per Ivarsson, Nenad Markovic, Fruzsi Hara, Hakan Hardenberger, Gabor Tarkovi, Jeroen Berwaerts, Hans Gansch, Reinhold Friedrich, entre outros.

Toca, enquanto músico convidado, com a Orquestra Filarmónica Portuguesa, Orquestra Sinfónica Portuguesa do Teatro Nacional de São Carlos (Lisboa), Orquestra Sinfónica do Porto – Casa da Música, Orchestrutopica, Divino Suspiro, Lisbon Film Orchestra, Orquestra do Algarve, Orquestra Clássica do Centro, entre outras. É desde 2006 membro da Orquestra de Câmara Portuguesa.  

Foi membro da European Union Youth Orchestra (EUYO), da Mediterranean Youth Orchestra e da World Youth Orchestra.

Desde 2017 é membro da Orchestra Excellence.

Leciona na ESART – Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco (enquanto professor assistente), no Conservatório de Música da Guarda e no Conservatório de Música de Viseu.

Foi premiado com o Segundo Prémio (Nível Superior – Solista) no concurso “Prémio Jovens Músicos”, edição de 2008.

Saxofone - 27 e 28 de Abril: Prof. Nuno Mendes

IMG_0222Iniciou os seus estudos musicais em 2000 na Banda Filarmónica Dom Fuas Roupinho (Nazaré). Mais tarde, conclui o curso básico de Saxofone na Academia de Música de Alcobaça, na classe do Professor Mário Marques. Participou em várias masterclasses com os Professores Jean-Yves Fourmeau, James Houlik, Mario Marzi, Nicolas Prost, Antonio Felipe Belijar, Mário Marques e José Massarrão.

Enquanto solista, apresentou-se sob a direcção de Rui Carreira, Alberto Roque, Vítor Santos, Steven Davis, Adelino Mota e  Vasco Pearce de Azevedo acompanhado por diversos agrupamentos como a Banda Sinfónica de Alcobaça, a Orquestra Sinfónica de Leiria, performance que o Maestro Jean-Sébastien Béreau comentou como “Un Super Solo” , a Orquestra de Sopros da Escola Superior de Música de Lisboa (ESML), a Banda Sinfónica da AFCL e a Orquestra Sinfónica da ESML onde estreou a obra Sobre Diálogos Marítimos de Carlos Filipe Cruz.

Colabora regularmente com a Big Band do Munícipio da Nazaré, Banda Sinfónica de Alcobaça, Banda Sinfónica da AFCL e Orquestra de Sopros da ESML.

Conclui a Licenciatura em Música (Saxofone) na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe do Professor José Massarrão, com média final de 18 valores. Conclui posteriormente o Mestrado em Música (Saxofone) na Escola Superior de Música de Lisboa, na classe do Professor José Massarrão.

Actualmente, frequenta o Doutoramento em Artes Musicais (Saxofone) ministrado pela FCSH em parceria com a ESML.

Enquanto docente, é Professor de Saxofone na Academia de Música de Alcobaça e na Escola de Música do Orfeão de Leiria.

  

Nota

Devido a parceria existente entre o Conservatório de Artes Canto Firme a Ourearte – Escola de Música e Artes de Ourém e a SAMP – Sociedade Artística Musical dos Pousos, os alunos inscritos por estas instituições, deveram inscrever-se como alunos Canto Firme para usufruírem do desconto associado.

Nota: Os dados solicitados serão tratados e cuidados com segurança ao abrigo do Regulamento Geral de Proteção de Dados (RGPD) – Regulamento 2016/679, de 27 de Abril.

Ficha de Inscrição: 

Campos marcado com * são obrigatórios.

Detalhes

Início:
23 Março, 2019
Fim:
28 Abril, 2019
Event Categories:
,

Organizador

Conservatório de Artes

Local

Canto Firme
Telefone:
249314251
Rua Dom Lopo Dias de Sousa, 8C, Tomar, 2300-483 Tomar
+ Google Map
Site:
www.cantofirme.pt